Porto Alegre, quinta-feira, 25 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Governo Federal

25/06/2020 - 15h22min. Alterada em 25/06 às 15h37min

Bolsonaro anuncia professor Carlos Alberto Decotelli da Silva para Ministério da Educação

Anúncio de Decotelli como novo ministro foi feito pelas redes sociais de Bolsonaro

Anúncio de Decotelli como novo ministro foi feito pelas redes sociais de Bolsonaro


Facebook/Reprodução/JC
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou, nesta quinta-feira (25), o nome do professor Carlos Alberto Decotelli da Silva para o cargo de Ministro da Educação, que estava vago desde a demissão de Abraham Weintraub da pasta, no último dia 18.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou, nesta quinta-feira (25), o nome do professor Carlos Alberto Decotelli da Silva para o cargo de Ministro da Educação, que estava vago desde a demissão de Abraham Weintraub da pasta, no último dia 18.
Segundo a postagem do presidente em rede social, Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, Mestre pela FGV, Doutor pela Universidade de Rosário, Argentina e Pós-Doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha.
Mais cedo, Bolsonaro havia comunicado Renato Feder, secretário de Educação do Paraná, de que ele estava fora do páreo. O secretário se reuniu ao menos duas vezes com o presidente. Um dos motivos que levaram o secretário a desidratar na bolsa de apostas foi o fato de ele ter sido um dos doadores da campanha de João Doria (PSDB-SP) ao governo de São Paulo em 2018.
Decotelli comandou o FNDE de fevereiro de 2019 até agosto do ano passado. Ele tem o apoio na ala militar do governo, principalmente de almirantes. Com informações da Folhapress.
Comentários