Porto Alegre, quarta-feira, 20 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 20 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Protestos

20/05/2020 - 12h35min. Alterada em 20/05 às 13h02min

Grupo de manifestantes pede saída de Bolsonaro em frente ao Planalto

Apoiadores de Bolsonaro têm se reunido na praça dos Três Poderes nos últimos dias

Apoiadores de Bolsonaro têm se reunido na praça dos Três Poderes nos últimos dias


EVARISTO SA/AFP/jc
Folhapress
Ocupada nos últimos dias apenas por apoiadores de Jair Bolsonaro, a praça dos Três Poderes, entre Planalto, Supremo e Congresso, recebeu na manhã desta quarta-feira (20) um grupo de manifestantes que pede a saída do presidente.
Ocupada nos últimos dias apenas por apoiadores de Jair Bolsonaro, a praça dos Três Poderes, entre Planalto, Supremo e Congresso, recebeu na manhã desta quarta-feira (20) um grupo de manifestantes que pede a saída do presidente.
O grupo de cerca de 50 pessoas chegou ao local no fim da manhã com uma bandeira do PT e outra do PCO, além de faixas onde se lê "Fora Bolsonaro". Houve um breve desentendimento com um homem que filmava os manifestantes de esquerda.
Era Renan da Silva Sena, que no início do mês agrediu enfermeiros que protestavam no mesmo lugar. Um ativista de esquerda deu um tapa e chutou o celular de Renan, que foi protegido pela segurança da Presidência.
O grupo contra Bolsonaro, um pouco menor do que o outro, ficou do lado direito da praça, pela perspectiva de quem olha do Planalto. Do lado esquerdo, o grupo bolsonarista, com uma grande faixa amarela de apoio ao presidente. Eles gritam "mito".
Entre os dois, permaneceu um grupo de policiais militares. A PM se espalhou em cordões pela praça. Do outro lado da praça, no Congresso Nacional, ficaram homens da cavalaria e do Corpo de Bombeiros.
Quatro homens do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), responsável pela segurança de Bolsonaro, foram até os manifestantes.
Comentários