Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Aniversário de Porto Alegre. Dia do Cacau.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

governo do estado

Notícia da edição impressa de 25/03/2020. Alterada em 25/03 às 03h00min

Leite amplia serviços que poderão funcionar durante estado de calamidade pública

Durante a noite desta segunda-feira, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assinou uma série de mudanças no decreto de calamidade pública, editado na semana passada, com o objetivo de prevenir e enfrentar a epidemia do coronavírus avança no Estado.

Durante a noite desta segunda-feira, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assinou uma série de mudanças no decreto de calamidade pública, editado na semana passada, com o objetivo de prevenir e enfrentar a epidemia do coronavírus avança no Estado.

As alterações ampliam o rol de serviços que poderão continuar funcionando normalmente durante a vigência da calamidade, além de autorizar os secretários estaduais e dirigentes de órgãos públicos a convocar servidores para trabalhar nas áreas elencadas pelo documento.

Além dos funcionamento de outros serviços que já estavam previstos no decreto, a permissão foi ampliada para atividades de defesa civil, transporte de passageiros e de cargas (desde que respeitas as normas específicas), serviços de call center, iluminação pública, inspeção de alimentos, monitoramento de barragens, fiscalização ambiental, entre outros.

"Surgiram dúvidas e questionamentos após a edição do decreto. Então, para esclarecer a população, listamos detalhadamente todos os serviços que deverão continuar em funcionamento. Estamos recomendando o isolamento social e garantindo que as pessoas possam ficar em casa com a certeza de que as necessidades essenciais serão atendidas", explicou Leite.

As atividades médico-periciais, que não estavam contempladas como serviço essencial, agora estão. Isso permitirá que sejam feitas contratações para a área. O texto também esclarece possíveis conflitos entre medidas definidas pelo Estado e por municípios, uniformizando a legislação e determinando que, por exemplo, ficam suspensas as medidas municipais que conflitem com as normas estaduais.