Porto Alegre, sexta-feira, 20 de março de 2020.
Início do Outono.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 20/03/2020. Alterada em 20/03 às 03h00min

Governadores solicitam medidas emergenciais

Os chefes dos executivos dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal assinaram, na tarde desta quinta-feira, uma carta solicitando apoio do governo federal para mitigar os efeitos sanitários e econômicos causados pela pandemia do coronavírus. O documento, protocolado na presidência da República, lista seis medidas de auxílio aos Estados pleiteadas junto à União.

Os chefes dos executivos dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal assinaram, na tarde desta quinta-feira, uma carta solicitando apoio do governo federal para mitigar os efeitos sanitários e econômicos causados pela pandemia do coronavírus. O documento, protocolado na presidência da República, lista seis medidas de auxílio aos Estados pleiteadas junto à União.

"Estamos fazendo a nossa parte no Rio Grande do Sul. Editamos decretos para restringir a circulação de pessoas e garantir o melhor atendimento possível aos pacientes, criamos novas modalidades de crédito, via Banrisul, para amparar os empreendedores, mas é preciso mais. E isso depende do governo federal. É uma responsabilidade indelegável. O governo federal é que tem condições de emitir títulos da dívida e de até, se for o caso, injetar moeda. Esse estímulo é fundamental para garantir a saúde dos brasileiros e a saúde financeira dos Estados", afirmou o governador Eduardo Leite.

Entre as medidas solicitadas está a aplicação da lei que institui a renda básica de cidadania.