Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Pandemia

Notícia da edição impressa de 13/03/2020. Alterada em 13/03 às 03h00min

"Não estou preocupado", afirma Donald Trump

O presidente Donald Trump afirmou nesta quinta-feira que não está preocupado com o caso de coronavírus na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que viajou aos EUA neste fim de semana. A declaração aconteceu durante conversa com jornalistas na Casa Branca e ainda não se sabe se Trump já fez ou ainda fará o teste para a doença.
O presidente Donald Trump afirmou nesta quinta-feira que não está preocupado com o caso de coronavírus na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que viajou aos EUA neste fim de semana. A declaração aconteceu durante conversa com jornalistas na Casa Branca e ainda não se sabe se Trump já fez ou ainda fará o teste para a doença.
"Ouvi alguma coisa sobre isso. Jantamos juntos em Mar-a-Lago, na Flórida, com a delegação inteira. Não sei se o assessor de imprensa estava lá. Se estava, estava. Mas não fizemos nada muito fora do usual. Sentamos perto por algum tempo, tivemos uma ótima conversa. Ele (Bolsonaro) está fazendo um excelente trabalho no Brasil e vamos descobrir o que vai acontecer. Acredito que estejam sendo testados agora", disse Trump. "Deixa eu colocar da seguinte maneira: não estou preocupado."
O secretário de Comunicação do governo brasileiro, Fábio Wajngarten, testou positivo para o vírus após retornar da Flórida, onde acompanhou Bolsonaro em viagem pelo estado americano. No sábado, Wajngarten esteve com Trump em um jantar em Mar-a-Lago, o resort do presidente perto de Miami, e postou imagens em suas redes sociais ao lado do presidente.
Bolsonaro e os integrantes da comitiva brasileira foram informados da confirmação do caso de Wajngarten e estão sendo monitorados.
O governo norte-americano afirmou que está ciente do caso de coronavírus na comitiva brasileira, mas ressaltou que o presidente Donald Trump e o vice-presidente Mike Pence quase não tiveram contato com o secretário de Comunicação do Planalto, Fábio Wajngarten, e portanto não farão o teste para a doença neste momento.
Em nota, a Casa Branca disse nesta quinta-feira que monitora a situação mas que, atualmente, não há indicação para testar pacientes sem sintomas.
Segundo as autoridades de saúde nos EUA, somente pessoas com exposição prolongada a casos positivos confirmados devem se auto-colocar em quarentena.
O chanceler Ernesto Araújo, que estava na Flórida e depois seguiu para Washington para uma série de encontros, teve suas reuniões com autoridades norte-americanas canceladas após a divulgação das notícias sobre Wajngarten. O embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster, que esteve com a comitiva durante os quatro dias de viagem, ficará em quarentena por duas semanas.