Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

governo federal

13/02/2020 - 11h16min. Alterada em 13/02 às 11h16min

Sérgio Camargo volta para a presidência da Fundação Palmares, diz Bolsonaro

Após STJ liberar a nomeação de Sérgio Camargo (e), presidente disse que jornalista é 'excelente pessoa'

Após STJ liberar a nomeação de Sérgio Camargo (e), presidente disse que jornalista é 'excelente pessoa'


Facebook/Reprodução/JC
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que, após liberação da Justiça, o jornalista Sérgio Camargo deve retornar para a presidência da Fundação Palmares. "Ele volta para lá", disse Bolsonaro a jornalistas na manhã desta quinta-feira (13). "Acho que o garoto que foi liberado ontem é uma excelente pessoa", elogiou o presidente.
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que, após liberação da Justiça, o jornalista Sérgio Camargo deve retornar para a presidência da Fundação Palmares. "Ele volta para lá", disse Bolsonaro a jornalistas na manhã desta quinta-feira (13). "Acho que o garoto que foi liberado ontem é uma excelente pessoa", elogiou o presidente.
Sérgio Camargo foi indicado no rol de mudanças promovidas pelo ex-secretário especial da Cultura Roberto Alvim, recentemente exonerado após fazer referência ao nazismo em vídeo divulgado nas redes sociais. Na época, decisão judicial suspendeu a sua indicação ao cargo por avaliar que a decisão "contraria frontalmente os motivos que levaram à criação do instituto". Na quarta-feira, a decisão foi revista pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça.
Após o anúncio da nomeação de Sérgio Camargo, diversas publicações nas redes sociais levaram a questionamentos sobre sua visão sobre o movimento negro. Ele se manifestou contra, por exemplo, ao Dia da Consciência Negra.
Em seu perfil no Facebook, o Camargo também afirmou que o Brasil tem "racismo nutella". "Racismo real existe nos EUA. A negrada sic daqui reclama porque é imbecil e desinformada pela esquerda", escreveu.
Nesta quinta, Bolsonaro não respondeu se a atriz Regina Duarte, que deve assumir a Secretaria Especial da Cultura em breve, foi consultada sobre Camargo. Diante da insistência de um jornalista sobre a pergunta, ele reagiu: "cara chato". E continuou sem esclarecer.
Pouco antes, ao falar de Regina Duarte, Bolsonaro falou que os seus ministros e secretários podem indicar quem quiserem, mas reforçou que o presidente tem poder de veto. "O que acontece com a Regina Duarte? Eles podem indicar (funcionários) e eu tenho poder de veto. Acontece com todo mundo", declarou. O presidente disse que ainda não há data definida para a nomeação de Regina.