Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020.
Dia do Agente de Defesa Ambiental.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Palácio do Planalto

Edição impressa de 06/02/2020. Alterada em 06/02 às 03h00min

Bolsonaro diz que confinaria ambientalistas na Amazônia

Presidente defendeu projeto de exploração de terras indígenas

Presidente defendeu projeto de exploração de terras indígenas


/WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL/JC

Ao defender projeto de lei do governo que libera exploração de terras indígenas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que confinaria, se pudesse, defensores do meio ambiente na Amazônia para que eles "deixem de atrapalhar".

Ao defender projeto de lei do governo que libera exploração de terras indígenas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que confinaria, se pudesse, defensores do meio ambiente na Amazônia para que eles "deixem de atrapalhar".

"Vamos sofrer pressões dos ambientalistas (pelo projeto)? Ah, esse pessoal do Meio Ambiente, né? Se um dia eu puder, eu confino na Amazônia já que eles gostam tanto do meio ambiente. E deixem de atrapalhar o Amazonas daqui de dentro das áreas urbanas", declarou o presidente ao discursar em evento no Palácio do Planalto sobre os 400 dias de seu governo.

"Índio é igual a nós. Tem coração, sentimento, desejo, necessidades e é tão brasileiro quanto nós", afirmou Bolsonaro. O presidente sugeriu ainda que agências da Caixa para compra de ouro poderiam ser instaladas nas terras indígenas. "De forma que pode ser lapidada (uma pedra preciosa) dentro do Brasil. Não ser vendida quase como commodity, sem preço nenhum", declarou.

Segundo a Casa Civil, o projeto de lei regulamenta a mineração, produção de petróleo e gás e a geração de energia hidrelétrica em terras indígenas. O texto também regulamenta o pagamento de participação no resultado da lavra e da geração de energia elétrica e de indenização pela restrição ao uso da terra aos indígenas. Também cria regras para que eles explorem economicamente as suas terras.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia