Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Governo Federal

- Publicada em 16h02min, 24/01/2020.

Decreto de Bolsonaro autoriza CGU a acessar dados protegidos por sigilo fiscal

O decreto regulamenta a forma de transferência do sigilo, prevendo os requisitos, condições e vedações

O decreto regulamenta a forma de transferência do sigilo, prevendo os requisitos, condições e vedações


Antonio Cruz/ Agência Brasil/JC
O governo Bolsonaro publicou nesta quinta-feira (23), o Decreto nº 10.209/2020, que dispõe sobre o compartilhamento de informações e "documentos necessários aos trabalhos e atividades" da Controladoria-Geral da União (CGU), inclusive aqueles protegidos pelo sigilo fiscal, previsto no Código Tributário Nacional (Lei nº 5.172/1966).
O governo Bolsonaro publicou nesta quinta-feira (23), o Decreto nº 10.209/2020, que dispõe sobre o compartilhamento de informações e "documentos necessários aos trabalhos e atividades" da Controladoria-Geral da União (CGU), inclusive aqueles protegidos pelo sigilo fiscal, previsto no Código Tributário Nacional (Lei nº 5.172/1966).
Segundo a CGU, o normativo é resultado das atividades de grupo de trabalho constituído no Ministério da Economia, do qual a Controladoria participou.
A partir de agora, com acesso a dados protegidos por sigilo fiscal, a Controladoria "obterá evidências e informações importantes que irão incrementar os trabalhos desenvolvidos pelo órgão".
O decreto regulamenta a forma de transferência do sigilo, prevendo os requisitos, condições e vedações para sua implementação.
A norma também se aplica, no que couber, às requisições e solicitações efetuadas pelo Tribunal de Contas da União.
Para o ministro da CGU, Wagner Rosário, "o decreto tem potencial para permitir a realização de trabalhos de auditoria mais robustos".
"Historicamente, sempre houve um conflito de entendimentos quanto ao acesso desses dados", assinala Rosário. "Com o espírito de cooperação e respeito que nutre as relações da nossa CGU com o Ministério da Economia, em especial com a Receita Federal, chegamos a um consenso que foi aprovado pelo Presidente da República."
Em sua avaliação, "o resultado será o aprimoramento da gestão pública".
O decreto também prevê a publicação, na internet, das Notas Fiscais Eletrônicas relativas às aquisições do Governo.
"A divulgação desse conteúdo permitirá ampliar o trabalho de controle social dos gastos públicos, já exercido pela sociedade, pois fornecerá detalhamento sobre os itens e serviços adquiridos pela administração pública e possibilitará estudos comparativos entre órgãos ou mesmo entre o governo e setores do mercado privado que optem por disponibilizar as informações", destacou a Controladoria.
Além de consulta tradicional por meio da navegação no portal, também está prevista a abertura dos dados em formato aberto, para pesquisadores e desenvolvedores interessados nos dados.
Segundo a Controladoria, como acontece com as despesas e outras informações no Portal da Transparência, "será resguardado o sigilo das aquisições cujas informações são protegidas por lei".
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO