Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia

- Publicada em 13h19min, 24/01/2020. Atualizada em 13h20min, 24/01/2020.

Ibama renova licença para Brasil retomar extração de urânio interrompida em 2015

A expectativa é de que 250 toneladas de urânio sejam produzidas neste ano

A expectativa é de que 250 toneladas de urânio sejam produzidas neste ano


MARCO AUR/AGÊNCIA A TARDE/AE/JC
O Ibama renovou esta semana a Licença de Operação da Unidade de Concentração de Urânio da Indústrias Nucleares do Brasil (INB) em Caetité, na Bahia, até 2026. De acordo com a estatal nuclear, este era o último passo necessário para o retorno da extração de urânio no Brasil, a fim de abastecer suas duas centrais nucleares.
O Ibama renovou esta semana a Licença de Operação da Unidade de Concentração de Urânio da Indústrias Nucleares do Brasil (INB) em Caetité, na Bahia, até 2026. De acordo com a estatal nuclear, este era o último passo necessário para o retorno da extração de urânio no Brasil, a fim de abastecer suas duas centrais nucleares.
As atividades de mineração de urânio foram paralisadas no País entre 2014 e 2015, depois que a parte a céu aberto da mina de Cachoeira se exauriu e foi solicitado o licenciamento para a parte subterrânea da mina, sem sucesso. A empresa aguarda também a licença para Santa Quitéria, no Ceará.
"A opção foi pela lavra a céu aberto da mina do Engenho, no mesmo local", informou o INB. A licença também abrange a planta de beneficiamento do minério.
Segundo uma fonte próxima ao assunto, este ano serão produzidas 250 toneladas de urânio e no ano que vem o País vai atingir as 400 toneladas necessárias para suprir as usinas nucleares Angra 1 e Angra 3.
A unidade do INB ocupa uma área de 1.700 hectares, localizada em uma província mineral com recursos que chegam a 99,1 mil toneladas de urânio e onde estão identificados 17 depósitos minerais.
De 2000 a 2015, a INB Caetité produziu 3.750 toneladas de concentrado de urânio a partir da extração a céu aberto em Cachoeira.
Comentários CORRIGIR TEXTO