Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

funcionalismo

23/01/2020 - 12h54min. Alterada em 23/01 às 18h31min

Professores se mobilizam contra votação de pacote do governo Leite

Categoria deve se reunir em Tribunal de Justiça já na segunda-feira

Categoria deve se reunir em Tribunal de Justiça já na segunda-feira


LUIZA PRADO/JC
Os professores da rede estadual farão uma série de mobilizações, a partir da próxima segunda-feira (27), para acompanhar as sessões da Assembleia Legislativa que vão votar o pacote de medidas do governo Leite.
Os professores da rede estadual farão uma série de mobilizações, a partir da próxima segunda-feira (27), para acompanhar as sessões da Assembleia Legislativa que vão votar o pacote de medidas do governo Leite.
A mobilização começa às 9h de segunda, com um ato em frente ao Tribunal de Justiça. O Cpers/Sindicato convoca a categoria para comparecer na Praça da Matriz, na região central de Porto Alegre, e permanecer mobilizada até o final das votações, previsto para quinta-feira (30).
De acordo com o sindicato, a intenção é cobrar dos magistrados "agilidade no julgamento do recurso do Cpers contra o corte de ponto de grevistas".
A votação do pacote também mobiliza outras categorias. A Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM), que representa os oficiais de nível superior da BM, divulgou uma carta aberta listando pontos do PLC 06/20, que afetam a categoria. No documento, entre as reivindicações, a associação cita "alteração do padrão remuneratório proposto pelo Governo".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia