Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

PGR

Edição impressa de 23/01/2020. Alterada em 23/01 às 03h00min

Juristas reclamam de 'abuso de autoridade' contra Glenn Greenwald

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou na Procuradoria-Geral da República uma representação por "abuso de autoridade" por parte do procurador federal Wellington Divino de Oliveira, que apresentou denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald.
A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou na Procuradoria-Geral da República uma representação por "abuso de autoridade" por parte do procurador federal Wellington Divino de Oliveira, que apresentou denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald.
A ABJD diz que ele "comporta-se de forma a atingir aqueles que considera desafetos políticos do ministro Sérgio Moro e do governo a que pertence, fazendo claro e distorcido uso do cargo público para atender a interesses e motivações pessoais".
O grupo pede que seja instaurada investigação contra Oliveira. Oliveira assina uma denúncia do Ministério Público Federal que acusa sete pessoas de envolvimento no hackeamento de mensagens de autoridades ligadas às investigações da Lava Jato, como o ministro Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol.
Glenn é fundador do site The Intercept Brasil, que recebeu os diálogos da Lava Jato e os publicou por meio de uma série de reportagens, algumas delas em parceria com outros veículos de imprensa.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia