Porto Alegre, quinta-feira, 23 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 23 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

eleições 2020

- Publicada em 02h05min, 14/01/2020. Atualizada em 03h00min, 14/01/2020.

Partido Novo pode ficar de fora da disputa pela prefeitura de Porto Alegre

Vereador Felipe Camozzato disse que pretende buscar a reeleição

Vereador Felipe Camozzato disse que pretende buscar a reeleição


/LEONARDO CONTURSI/CMPA/JC
Rariane Costa
O partido Novo considera a possibilidade de não ter candidatos próprios para a prefeitura de Porto Alegre nas eleições deste ano. Segundo o representante do partido na Câmara Municipal, Felipe Camozzato, o fato de não ter havido aprovação de nenhum candidato no processo seletivo interno realizado pela sigla deve determinar que o partido decida por não apresentar um nome ao Paço Municipal.
O partido Novo considera a possibilidade de não ter candidatos próprios para a prefeitura de Porto Alegre nas eleições deste ano. Segundo o representante do partido na Câmara Municipal, Felipe Camozzato, o fato de não ter havido aprovação de nenhum candidato no processo seletivo interno realizado pela sigla deve determinar que o partido decida por não apresentar um nome ao Paço Municipal.
Em 2019, visando candidatos que não fizessem parte da política tradicional, o partido abriu processo seletivo em busca de possíveis candidatos ao executivo da capital. Rodrigo Luz, profissional da área da tecnologia, chegou a passar na etapa inicial do processo. No entanto, a seleção terminou sem aprovar nenhum candidato.
Felipe Camozzato, único representante do Novo no Legislativo e também cotado para a possível candidatura ao Executivo, afirmou que pretende buscar reeleição como vereador e colaborar para o aumento da bancada na casa Legislativa, mas disse não descartar nenhuma possibilidade. "É mais provável a reeleição, mas agora é preciso aguardar um posicionamento do partido, não se sabe a definição, se haverá novos chamamentos para o processo seletivo ou não", afirmou.
Sobre a possível não candidatura de representantes do Novo à prefeitura de Porto Alegre, Camozzato afirma que a atitude pode sim afetar o crescimento do partido mas disse se tratar de uma situação normal. "Não adianta aceitar qualquer um, o processo seletivo é uma ferramenta para ver quem é apto, selecionar pessoas qualificadas", garantiu o vereador. O Novo, oficializado pela Justiça Eleitoral em 2015, disputou sua primeira eleição municipal em 2016.
No Estado, o partido Novo já tem representantes confirmados para cargos do Executivo, todos aprovados por meio do processo de seleção. Marcelo Slaviero, em Caxias do Sul; Carlos Eurico, em Santa Cruz do Sul, e Camilo Bornia, em Canoas, são os confirmados até o momento.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO