Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de janeiro de 2020.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Caxias do Sul

Edição impressa de 08/01/2020. Alterada em 08/01 às 08h20min

Ex-prefeito Daniel Guerra sofreu sete pedidos de cassação até seu afastamento

O processo movido pelo ex-vice prefeito de Caxias do Sul Ricardo Fabris de Abreu (hoje, Patriota), que culminou no afastamento do agora ex-prefeito Daniel Guerra (Republicanos), não foi o único protocolado durante o mandato. Ao todo, foram sete processos até o efetivo afastamento.
O processo movido pelo ex-vice prefeito de Caxias do Sul Ricardo Fabris de Abreu (hoje, Patriota), que culminou no afastamento do agora ex-prefeito Daniel Guerra (Republicanos), não foi o único protocolado durante o mandato. Ao todo, foram sete processos até o efetivo afastamento.
Já no ano inicial de mandato, em 2017, três pedidos de impeachment foram protocolados sob acusações de improbabilidade administrativa. Apenas uma das solicitações foi acolhida, no entanto, ao fim do processo o impeachment do líder executivo foi rejeitado.
Em 2018, dois pedidos foram protocolados. Em junho, o comerciante Luis Carlos Ferreira Junior pediu afastamento cautelar do prefeito, mas o retirou no dia seguinte. Com a listagem de 26 itens, o então vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu também protocolou novo pedido em dezembro do mesmo ano.
Denunciando suposta obra irregular em terreno particular, Jefferson Côrtes Torres ex-subprefeito de Vila Oliva, abriu o que foi o sexto protocolo em agosto de 2019, o processo foi arquivado pela câmara.
Por fim, novamente protocolado por Ricardo Fabris de Abreu, sob denúncias de infrações político-administrativas, o pedido do impeachment foi aprovado. A sessão durou mais de 50 horas, 18 vereadores votaram de maneira favorável em três dos quatro itens denunciados definindo o afastamento de Daniel Guerra. Além disso, o ex-prefeito perdeu direitos políticos e se tornou inelegível pelos próximos oito anos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia