Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de novembro de 2019.
Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

partidos

Edição impressa de 28/11/2019. Alterada em 28/11 às 10h23min

Janaina Paschoal e líder do PSL batem boca em plenário

A deputada Janaina Paschoal (PSL), recordista com mais de 2 milhões de votos na eleição, e o deputado Gil Diniz, líder do PSL e aliado da família Bolsonaro, bateram boca no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo na noite desta terça-feira, para espanto dos colegas. Janaina interrompeu a fala de Gil na tribuna e, exaltada, acusou-o de desrespeitar a bancada do PSL, a maior da casa, com 15 deputados.
A deputada Janaina Paschoal (PSL), recordista com mais de 2 milhões de votos na eleição, e o deputado Gil Diniz, líder do PSL e aliado da família Bolsonaro, bateram boca no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo na noite desta terça-feira, para espanto dos colegas. Janaina interrompeu a fala de Gil na tribuna e, exaltada, acusou-o de desrespeitar a bancada do PSL, a maior da casa, com 15 deputados.
A deputada também o acusou de alinhamento com o PT. "Vossa excelência está obedecendo o PT, quem está mandando na bancada é o Barba (Teonílio Barba, líder do PT), que brincadeira é essa?", questionou. O motivo da discussão aparentemente foi a discordância em relação ao projeto que aumenta em 5% o salário dos policiais, mas não ficou claro qual parte da fala de Gil irritou a deputada.
Janaina e Gil, que rivalizam no protagonismo da bancada do PSL, divergem em muitas votações na casa. A deputada adota posição independente do governo João Doria (PSDB) e de sua própria bancada. Gil, por sua vez, nunca exigiu que os colegas de bancada votassem como ele, deixando-os livre para votar como preferissem. Ligado às polícias, ele costuma ser crítico ao governo João Doria (PSDB) e é alinhado à família Bolsonaro.
O reajuste salarial proposto foi duramente criticado pelos deputados da segurança pública, inclusive Gil, por não satisfazer a demanda dos policiais. "Pra mim não passa de mentira, de lorota, de firula", discursava Gil a respeito da promessa de Doria de melhoria salarial antes de ser interrompido por Janaina. "Eu vou falar. Ele não está respeitando a gente. Vossa Excelência já votou a favor do governador", disse ela, lembrando que Gil já deu voto "sim" a outros projetos do tucano. Em seguida, o acusou de alinhamento com o PT, que também votou contra o aumento. "Onde eu não estou te respeitando?", "baixe o tom" e "não lhe devo satisfação", devolveu Gil da tribuna, enquanto o presidente da Assembleia pedia calma aos deputados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia