Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Relações exteriores

Alterada em 26/11 às 17h31min

Bolsonaro envia ao Congresso indicação de Nestor Forster para embaixada nos Estados Unidos

Da ala olavista do governo, o gaúcho Nestor Forster é diplomata de carreira

Da ala olavista do governo, o gaúcho Nestor Forster é diplomata de carreira


ITAMARATY/DIVULGAÇÃO/JC
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) formalizou nesta terça-feira (26) a indicação de Nestor Forster para o cargo de embaixador brasileiro em Washington. A nomeação foi encaminhada ao Congresso. Forster será sabatinado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado e precisa ter sua indicação aprovada pelo plenário da Casa para poder seguir ao posto.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) formalizou nesta terça-feira (26) a indicação de Nestor Forster para o cargo de embaixador brasileiro em Washington. A nomeação foi encaminhada ao Congresso. Forster será sabatinado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado e precisa ter sua indicação aprovada pelo plenário da Casa para poder seguir ao posto.
Agora, a mensagem deverá ser lida em plenário pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que, por sua vez, encaminhará o texto para a comissão. Em seguida, será designado um relator, que terá sete dias para apresentar seu parecer antes da votação no plenário.
A sabatina, no entanto, só deverá acontecer no ano que vem. Segundo o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, Nelson Trad (PSD-MS), "não há tempo hábil" para que Forster seja sabatinado e seu nome submetido ao plenário da Casa ainda em 2019.
O governo americano concedeu na semana passada o agrément (autorização) para que Forster assuma a embaixada, procedimento que é praxe na diplomacia. Encarregado de negócios em Washington, ele já está à frente da embaixada desde a saída de Sergio Amaral , em abril.
Promovido a ministro de primeira classe em junho, Forster era o mais cotado para assumir a embaixada nos EUA até meados deste ano, quando o presidente disse que indicaria seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para a função.
No mês passado, contudo, Eduardo anunciou, no plenário da Câmara, que havia desistido de assumir a embaixada - em meio à crise no PSL, o deputado afirmou que ficaria no país para defender a pauta conservadora de seu pai. Também havia dúvidas se seu nome seria aprovado em uma sabatina no Senado. Atualmente, Eduardo é o líder do partido na Câmara e está na linha de frente da estratégia de criação do novo partido Aliança pelo Brasil.
Gaúcho de 56 anos, Forster já serviu três vezes nos EUA e ocupou postos nas embaixadas no Canadá e na Costa Rica. Ele é tido como um dos "olavetes", dada sua proximidade com o guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho. Foi Forster quem apresentou o chanceler Ernesto Araújo a Olavo de Carvalho - que acabou o apadrinhando na pasta das Relações Exteriores.
Em seu primeiro discurso público desde que foi indicado ao cargo, Forster disse que é preciso "desfazer o mito" de que o relacionamento entre os dois países sob o governo Bolsonaro será de alinhamento automático.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia