Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Imprensa

Edição impressa de 22/11/2019. Alterada em 22/11 às 03h00min

ARI reconhece 10 jornalistas

OS LAUREADOS
Cláudio Brito
Flávio Porcello
Itamar Aguiar
Lauro Quadros
Lizemara Prates
Luciamen Winck
Márcia Christofoli
Paula Coutinho
Renato Dornelles
Rodrigo Lopes

OS LAUREADOS Cláudio Brito Flávio Porcello Itamar Aguiar Lauro Quadros Lizemara Prates Luciamen Winck Márcia Christofoli Paula Coutinho Renato Dornelles Rodrigo Lopes


/NÍCOLAS CHIDEM/JC

A Associação Riograndense de Imprensa (ARI) homenageou 10 jornalistas, na noite desta quinta-feira, com a Medalha Alberto André. A cerimônia de entrega da distinção aconteceu na Faculdade Senac, no Centro Histórico de Porto Alegre.

A ARI reconheceu profissionais da comunicação pelo êxito da trajetória de cada um: Cláudio Brito, Flávio Porcello, Itamar Aguiar, Lauro Quadros, Lizemara Prates, Luciamen Winck, Márcia Christofoli, Renato Dornelles, Rodrigo Lopes e Paula Coutinho, editora de Política do Jornal do Comércio.

Foi o terceiro ano consecutivo em que o JC teve um profissional destacado - além de Paula Coutinho, nesta edição em 2019, no ano passado foi homenageado o jornalista João Egydio Gamboa - que também atuou na Política do JC - e, em 2017, a distinção foi concedida a Patrícia Comunello, editora-assistente do site do Jornal do Comércio.

O evento também ressaltou o papel histórico do ex-presidente da entidade Alberto André, que comandou a ARI por 30 anos.

Os discursos dos homenageados, bem como dos dirigentes da Associação, coincidiram na defesa da liberdade de imprensa em um momento desafiador. "Nunca foram tão importantes as prerrogativas democráticas, assim como a reafirmação do estado de direito e da liberdade de expressão", declarou o presidente da ARI, Luiz Adolfo Lino de Souza.

"Nestes dias desafiadores, a ARI reforça seu compromisso com a profissão", concluiu o presidente da Associação.

A vice-presidente da ARI, Cristiane Finger, criticou a recente Medida Provisório 905, que retira a exigência do registro profissional para o exercício do jornalismo, bem como de outras duas profissões - de publicitário e radialista.

Os homenageados também apontaram ataques à imprensa, aos meios de comunicação e aos próprios jornalistas como preocupantes, mas foram unânimes em ressaltar a importância do bom jornalismo e da informação de qualidade para a sociedade, em um momento em que se difundem notícias falas.

"Desde 1996 acompanho eleições e trabalho com política. Todos somos sujeitos políticos, é um exercício que não está restrito à política partidária, está na vida de todos nós. Por isso eu entendo que o jornalismo também é um ato político, pois é um meio de transformar o mundo, levando uma informação correta à sociedade", disse Paula Coutinho, editora de Política do JC.

Coube a Lauro Quadros, que marcou época no radiojornalismo gaúcho, descontrair o público. Ao receber a medalha das mãos do senador gaúcho Lasier Martins (Podemos), revelou que os dois se conheceram há 53 anos, quando já estavam na profissão.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia