Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR
Edição impressa de 22/11/2019. Alterada em 22/11 às 03h00min

Quando aprovada, legenda terá na urna o número 38

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que o número eleitoral de seu novo partido, a Aliança pelo Brasil, será o 38 - igual ao calibre de um dos revólveres mais conhecidos do país. "Tínhamos poucas opções e acho que o 38 é o mais fácil de gravar", afirmou Bolsonaro durante live em rede social, na qual não fez a associação da escolha do número com a arma.

O armamento da população é um dos nortes da sigla - que recebeu uma obra feita de cartuchos de bala com seu nome e símbolo.

Bolsonaro disse ainda que, caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não autorize a coleta eletrônica de assinaturas para a criação da Aliança pelo Brasil, a sigla só deve estar apta a concorrer em 2022. "Por ocasião das eleições de 2020, acredito que podemos ter o partido funcionando desde que a assinatura seja pela forma eletrônica, senão só poderemos estar em condições de disputar as eleições de 2022", afirmou o presidente.

Ele disse que caso o procedimento seja feito pela via presencial o partido deve demorar cerca de um ano ou um ano e meio para ficar pronto, o que os tiraria das próximas eleições. Ele afirmou ainda que serão criadas em breve as executivas estaduais e que o critério não será "quem chegou na frente".

"Claro que nós temos muitos deputados, senadores e vereadores que querem vir com a gente, e vamos considerar isso", disse, "mas queremos uma executiva estadual que seja profissional, para o que está no estatuto seja cumprido". 

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia