Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de novembro de 2019.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

assembleia legislativa

Edição impressa de 12/11/2019. Alterada em 12/11 às 03h00min

Relator recebe sugestões para novo código ambiental até hoje

O relator do projeto do novo código ambiental na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Gabriel Souza (MDB), recebe sugestões ao texto até esta terça-feira (12). As sugestões podem ser enviadas por e-mail. Souza pretende apresentar o relatório na próxima terça-feira. A partir daí, se nenhum parlamentar pedir vistas, o parecer já pode ser votado. O líder do governo, Frederico Antunes (PP), deve tentar construir um acordo de líderes para que a proposta não passe pela comissão de mérito, neste caso a Comissão de Saúde e Meio Ambiente. Com isso, o texto iria direto ao plenário, depois da CCJ.
O relator do projeto do novo código ambiental na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Gabriel Souza (MDB), recebe sugestões ao texto até esta terça-feira (12). As sugestões podem ser enviadas por e-mail. Souza pretende apresentar o relatório na próxima terça-feira. A partir daí, se nenhum parlamentar pedir vistas, o parecer já pode ser votado. O líder do governo, Frederico Antunes (PP), deve tentar construir um acordo de líderes para que a proposta não passe pela comissão de mérito, neste caso a Comissão de Saúde e Meio Ambiente. Com isso, o texto iria direto ao plenário, depois da CCJ.
O novo código foi enviado em regime de urgência, para que a discussão das 480 mudanças fosse feita em 30 dias. Mas, atendendo a ação movida por deputados, o Tribunal de Justiça concedeu uma liminar suspendendo a urgência.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia