Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

governo federal

- Publicada em 17h42min, 10/11/2019. Atualizada em 17h46min, 10/11/2019.

No Twitter, Bolsonaro atribui oscilações na Bolsa à soltura de Lula

Postagem deste domingo foi a primeira em que Bolsonaro citou Lula nominalmente após soltura

Postagem deste domingo foi a primeira em que Bolsonaro citou Lula nominalmente após soltura


EVARISTO SA/AFP/JC
O presidente Jair Bolsonaro atribuiu as oscilações na Bolsa de Valores à soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em uma publicação feita na tarde deste domingo (10) em sua conta oficial do Twitter. Em meio a uma série de postagens, em que destaca as ações positivas dos seus 300 dias de governo, Bolsonaro afirmou que a Bolsa bateu mais um recorde e que "as oscilações ocorreram devido a soltura de corruptos presos" como Lula.
O presidente Jair Bolsonaro atribuiu as oscilações na Bolsa de Valores à soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em uma publicação feita na tarde deste domingo (10) em sua conta oficial do Twitter. Em meio a uma série de postagens, em que destaca as ações positivas dos seus 300 dias de governo, Bolsonaro afirmou que a Bolsa bateu mais um recorde e que "as oscilações ocorreram devido a soltura de corruptos presos" como Lula.
"Bolsa de valores bateu mais um recorde. Confiança no Brasil em alta e crescendo! Dever de casa sendo cumprido e temos que desfazer ainda muitos estragos! As oscilações ocorreram devido a soltura de corruptos presos como o presidiário Lula. Vamos adiante!", escreveu o presidente.
Na última quinta-feira, o Ibovespa registrou nova máxima histórica no fechamento aos 109.580,57 pontos (+1,13%), impulsionado pelo cenário externo favorável. Já na sexta-feira, 8, o índice devolveu os ganhos, pressionado por venda de posições por investidores e pela contaminação do mercado com a notícia de que o ex-presidente Lula estava liberado da prisão, segundo operadores.
A postagem deste domingo foi a primeira em que Bolsonaro citou nominalmente em público o ex-presidente Lula após a sua soltura. Ontem ele escreveu que não responderia a "criminosos que por ora estão soltos" e pediu aos "amantes da liberdade e do bem" que não deem "munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa", sem mencionar nenhum nome de adversário político.
Comentários CORRIGIR TEXTO