Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Estado de Direito

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 04/11 às 03h00min

'Democracia no Brasil não está em risco', afirma ministro do STF Luís Roberto Barroso

Para ministro do Supremo, não se pode 'confundir conservadorismo com autoritarismo'

Para ministro do Supremo, não se pode 'confundir conservadorismo com autoritarismo'


EVARISTO SA/AFP/JC
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso disse, no domingo (3), ter convicção de que a democracia no Brasil não está em risco e considerou "contundente" a reação da sociedade às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre o AI-5 durante a semana. "Vivemos uma onda conservadora, mas é preciso não confundir conservadorismo com autoritarismo", disse o ministro durante um talk-show no clube Hebraica, em São Paulo, no encerramento da 50º Convenção Anual da Convenção Israelita do Brasil (Conib). "O que eu diria é que o mundo vive um momento difícil em relação à democracia", acrescentou.
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso disse, no domingo (3), ter convicção de que a democracia no Brasil não está em risco e considerou "contundente" a reação da sociedade às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre o AI-5 durante a semana. "Vivemos uma onda conservadora, mas é preciso não confundir conservadorismo com autoritarismo", disse o ministro durante um talk-show no clube Hebraica, em São Paulo, no encerramento da 50º Convenção Anual da Convenção Israelita do Brasil (Conib). "O que eu diria é que o mundo vive um momento difícil em relação à democracia", acrescentou.
Democracia, discurso de ódio e mudanças eleitorais foram os temas abordados pelo ministro no encontro. Barroso foi aplaudido longamente pela plateia presente no Teatro Anne Frank. Citando um dos autores de "Como as Democracias Morrem", Steven Levitsky, Barroso disse que a erosão democrática hoje vem de líderes eleitos. "É preocupante, precisa ficar atento. Mas a democracia brasileira é muito resiliente", disse.
Barroso defendeu, ainda, uma mudança no sistema eleitoral, com base no voto distrital. "Acho que se não mudarmos o sistema eleitoral, vamos ficar andando em círculos."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia