Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Prefeitura de Porto Alegre

- Publicada em 03h04min, 17/09/2019. Atualizada em 03h00min, 17/09/2019.

OAB ingressa com medida judicial contra aumento do IPTU na Capital

A seccional gaúcha da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RS) ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Tribunal de Justiça (TJ) contra a Lei Complementar nº 859/2019, recentemente sancionada pela prefeitura, que alterou a legislação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Porto Alegre.
A seccional gaúcha da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RS) ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Tribunal de Justiça (TJ) contra a Lei Complementar nº 859/2019, recentemente sancionada pela prefeitura, que alterou a legislação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Porto Alegre.
A OAB-RS considera que, "ao impor esse aumento excessivo" no valor do IPTU para os contribuintes, a legislação feriu diversos dispositivos da Constituição Federal e da Constituição do Estado, sendo, portanto, "flagrantemente inconstitucional", como informou em nota.
As cinco inconstitucionalidades observadas pela OAB são: instituição de progressividade em desacordo com o que estabelece a Constituição Federal de 1988; retroatividade da alteração dos critérios para a fixação da base de cálculo do imóvel; inobservância dos critérios informadores da planta genérica de valores; utilização de critérios de diferenciação entre padrões construtivos x divisão fiscal, para definição da base de cálculo do imposto; e por ofensa ao princípio da capacidade contributiva e não confisco, em face do elevado aumento no valor do imposto a ser suportado pelos contribuintes.
Essas constatações foram feitas por meio de um trabalho desenvolvido pela Comissão de Direito Tributário da OAB-RS.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO