Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Memória

- Publicada em 03h06min, 03/09/2019. Atualizada em 03h00min, 03/09/2019.

Amigos e políticos se despedem de Alberto Goldman

O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman (PSDB) foi enterrado nesta segunda-feira (2) no Cemitério Israelita do Butantã, na capital paulista. 
O ex-governador de São Paulo Alberto Goldman (PSDB) foi enterrado nesta segunda-feira (2) no Cemitério Israelita do Butantã, na capital paulista. 
Ele morreu neste domingo (1), aos 81 anos, vítima de um câncer. Goldman estava internado desde 19 de agosto no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O ex-governador deixou a mulher, Deuzeni Goldman, cinco filhos e quatro netos.
O tucano foi governador de São Paulo de abril a dezembro de 2010, quando assumiu o posto de José Serra (PSDB), de quem era vice-governador. Serra deixou o cargo para concorrer à Presidência da República naquele mesmo ano.
José Serra, hoje senador, compareceu ao velório do colega. "Goldman foi um grande homem público. Um batalhador pela redemocratização do Brasil. Um batalhador pela construção do novo desenvolvimento do Brasil", disse Serra.
Estiveram na despedida de Goldman parentes, amigos e colegas da política de vários partidos. Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo, disse que Goldman era um democrata e que seu exemplo é importante neste momento do país.
O empresário Paulo Skaf, presidente da Fiesp, disse que Goldman foi "um homem que pensava e tinha espírito público". O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, também compareceram ao velório.
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não compareceu ao velório nem ao enterro do ex-governador, mesmo estando na capital paulista. Ele protagonizou embates públicos com Alberto Goldman nos últimos anos.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO