Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Governo Federal

- Publicada em 03h02min, 19/08/2019. Atualizada em 03h00min, 19/08/2019.

Delegado da Receita no Rio relata interferência de 'forças externas'

Em mensagem a colegas, o delegado da alfândega do porto de Itaguaí (RJ), José Alex Nóbrega de Oliveira, fez uma acusação de pressões e interferências políticas na Receita Federal. 
Em mensagem a colegas, o delegado da alfândega do porto de Itaguaí (RJ), José Alex Nóbrega de Oliveira, fez uma acusação de pressões e interferências políticas na Receita Federal. 
Itaguaí, região metropolitana do Rio de Janeiro, tem sido palco de uma crise entre auditores da Receita e o governo. "Venho relatar o que está ocorrendo, pois existem forças externas que não coadunam com os objetivos de fiscalização da RFB (Receita Federal do Brasil), pautados pelo interesse público e defesa dos interesses nacionais", escreveu Oliveira.
Ele declarou ter sido surpreendido há cerca de três semanas, quando o superintendente da Receita no Rio de Janeiro, Mario Dehon, o teria informado que havia uma indicação política para assumir a alfândega do porto. Dehon, contudo, não teria concordado com a pressão do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para substituir Oliveira por um auditor com pouca experiência para o cargo. Por isso, o superintendente, agora, corre o risco de ser exonerado do posto "em represália a essa atitude", diz a nota.
Bolsonaro tem reclamado publicamente da atuação da Receita Federal e teria partido do próprio presidente o pedido para substituição na delegacia da alfândega do porto de Itaguaí e outros postos da Receita.
O auditor conta, ainda, que a Receita Federal tinha dificuldades em encontrar quem quisesse assumir a função. O cargo está ligado a investigações de ilícitos praticados por milícias. A Receita Federal está sob pressão, e, por isso, o governo estuda até uma reestruturação no órgão.
O Planalto não se manifestou sobre o caso.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO