Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de agosto de 2019.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Senado

Alterada em 13/08 às 19h31min

Guedes deve ir ao Senado apresentar pacto federativo

Propostas sobre distribuição de recursos para Estados e municípios será apresentado pelo ministro

Propostas sobre distribuição de recursos para Estados e municípios será apresentado pelo ministro


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
Estadão Conteúdo
O ministro da Economia, Paulo Guedes, irá ao Senado apresentar o pacote de revisão do chamado pacto federativo. A votação de propostas que envolvem a distribuição de recursos para Estados e municípios faz parte do acordo com líderes do Senado para votar a reforma da Previdência em outubro.
O ministro da Economia, Paulo Guedes, irá ao Senado apresentar o pacote de revisão do chamado pacto federativo. A votação de propostas que envolvem a distribuição de recursos para Estados e municípios faz parte do acordo com líderes do Senado para votar a reforma da Previdência em outubro.
O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), negou que a União esteja abrindo mão de recursos no pacto federativo, mas reforçou que as propostas a serem votadas englobam novas receitas para Estados e municípios. O governo, afirmou, vai tentar antecipar a votação da reforma da Previdência - programa para ser concluída no dia 2 de outubro.
Acordo
Ao falar sobre o pacto federativo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), negou que a reforma da Previdência esteja condicionada às propostas dos Estados e municípios. Ontem, em entrevista ao Broadcast Político, o líder do governo disse que a distribuição de recursos para governadores e prefeitos facilita a aprovação da reforma.
Nesta terça-feira (13), outros senadores também admitiram a vinculação entre os dois temas. "Esse acordo praticamente dá condição de se aprovar a reforma da Previdência", declarou o líder do PSD no Senado, Otto Alencar (BA).
"Tudo que nós pudermos fazer, nós faremos, desde que esse preço não atinja os mais pobres e tire benefício para quem é privilegiado", afirmou a senadora Kátia Abreu (PDT-TO), que exige a votação do pacto federativo antes da reforma da Previdência. Ela afirmou ter pontos que concorda na reforma e outros que defende alteração.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia