Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de agosto de 2019.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Procuradoria-Geral da República

Edição impressa de 13/08/2019. Alterada em 13/08 às 03h00min

Favorito para a PGR anuncia equipe com conservadores

Apontado por pessoas do entorno de Jair Bolsonaro (PSL) como favorito para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR) em setembro, no lugar de Raquel Dodge, o subprocurador-geral Augusto Aras fez um aceno ao presidente afirmando estar disposto a montar uma equipe de perfil conservador se for indicado.
Apontado por pessoas do entorno de Jair Bolsonaro (PSL) como favorito para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR) em setembro, no lugar de Raquel Dodge, o subprocurador-geral Augusto Aras fez um aceno ao presidente afirmando estar disposto a montar uma equipe de perfil conservador se for indicado.
Aras rebateu as críticas que recebeu de bolsonaristas nas redes sociais por causa de discursos antigos que, segundo ele, foram retirados de contexto para associá-lo à esquerda. "Se eu fosse do MST (como disseram) eu estaria sentado no Supremo Tribunal Federal", declarou.
O subprocurador-geral criticou o julgamento do Supremo que criminalizou a homofobia, chamou de inaceitável a "ideologia de gênero" - expressão não reconhecida pela academia - e defendeu o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro.
"(Se for indicado) Eu começaria no plano administrativo convidando (para ser secretário-geral) o colega Eitel Santigo de Brito Pereira, que, uma vez aposentado, se candidatou (pelo PP) a deputado federal pela Paraíba e como tal apoiou o candidato Bolsonaro e fez um dos discursos mais inflamados contra o atentado que sofreu o presidente", disse Aras.
Aras também disse que vai convidar para a gestão, caso seja escolhido, o procurador Ailton Benedito, chefe da Procuradoria em Goiás e conhecido nas redes por seu alinhamento ao conservadorismo. Benedito teve a indicação para a Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos barrada pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal.
Prestes a anunciar o nome do próximo procurador-geral da República, Bolsonaro tem um encontro agendado nesta terça-feira com o primeiro colocado da lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Mário Bonsaglia. 
Segundo integrantes do Planalto, a reunião foi confirmada nesta segunda-feira e está prevista na agenda do presidente, que ainda não foi divulgada, para o início da tarde desta terça.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia