Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Juventude .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

tributos

Alterada em 12/08 às 15h04min

Maia e Toffoli defendem reforma que retire regras do sistema tributário da Constituição

Segundo o presidente do STF, Dias Toffoli, a mudança ajudaria a desafogar o Tribunal

Segundo o presidente do STF, Dias Toffoli, a mudança ajudaria a desafogar o Tribunal


CARLOS MOURA/SCO/STF/JC
Folhapress
Os presidentes do STF (Supremo Tribunal Federal)e da Câmara do Deputados defenderam nesta segunda-feira (12) uma reforma que retire as regras do sistema tributário da Constituição.
Os presidentes do STF (Supremo Tribunal Federal)e da Câmara do Deputados defenderam nesta segunda-feira (12) uma reforma que retire as regras do sistema tributário da Constituição.
Dias Toffoli afirmou, durante evento organizado pelo banco Santander, que a mudança ajudaria a desafogar o Tribunal.
"Toda reforma que acontece aumenta o texto da Constituição. Na tributária, vamos tirar do texto da Constituição, vamos revogar o artigo 192", sugeriu Toffoli.
Segundo ele, somente em matérias tributárias há hoje na pauta do STF ações que somam R$ 1 trilhão.
A ideia seria tirar o tema da Constituição e tratar da questão por meio de projetos de lei, de acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que afirmou aprovar a proposta de Toffoli e já ter tratado com ele previamente sobre o assunto.
Ele disse ainda preferir tratar primeiro dos tributos sobre o consumo, tema dos projetos que já estão no Congresso, e deixar outras questões para depois.
Afirmou também que não irá apoiar as discussões para recriar tributos nos moldes da CPMF.
"Não vamos retomar CPMF na Câmara de jeito nenhum. O presidente Bolsonaro já falou isso. Tem de concentrar na reforma de bens e serviços."
Maia afirmou ainda que quer priorizar na Câmara a votação de temas como uma reforma das carreiras públicas, o novo marco do saneamento e projetos que serão enviados pelo Banco Central de modernização cambial e redução do spread bancário, o que poderá facilitar a votação da autonomia da instituição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia