Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Juventude .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Edição impressa de 12/08/2019. Alterada em 12/08 às 03h00min

Perfil do presidente divulga post que chama Dallagnol de 'esquerdista'

A página de Facebook do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi tomada, durante este domingo (11), de pedidos para que o coordenador da Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, seja nomeado procurador-geral da República. Em resposta a alguns comentários, o perfil de Bolsonaro compartilhou a publicação de uma página chamada "Bolsonaro Opressor 2.0" que afirma que "Pra quem pede o Deltan Dellagnol na PGR...O cara é esquerdista estilo PSOL".
A página de Facebook do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi tomada, durante este domingo (11), de pedidos para que o coordenador da Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, seja nomeado procurador-geral da República. Em resposta a alguns comentários, o perfil de Bolsonaro compartilhou a publicação de uma página chamada "Bolsonaro Opressor 2.0" que afirma que "Pra quem pede o Deltan Dellagnol na PGR...O cara é esquerdista estilo PSOL".
A publicação compartilhada traz fotos de declarações de Dallagnol, em que ele critica atos de Bolsonaro no governo e repudia a ditadura militar. Também há publicações de Deltan compartilhando notícias sobre suspeitas contra o ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antonio, e contra Fabricio Queiroz, ex-assessor do Flávio Bolsonaro. Ainda há registros de "curtidas" do procurador de publicações de outras pessoas sobre Amazônia, direitos indígenas, Direitos Humanos e ditadura militar, entre outros.
Em outros comentários, Bolsonaro respondeu com uma lista de assuntos sobre os quais gostaria de perguntar a um candidato à PGR: desarmamento, ideologia de gênero, Direitos Humanos, Amazônia, excludente de ilicitude, Comissão da Verdade, reserva indígena, ONGs na Amazônia, Forças Armadas e meio-ambiente.
A página "Bolsonaro Opressor 2.0" já foi comandada por Tercio Arnaud Tomaz, assessor do gabinete de Bolsonaro. No ano passado, Tercio trabalhou na campanha de Bolsonaro ao mesmo tempo em que era lotado no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro.
Bolsonaro disse que fará até a próxima sexta-feira sua escolha para a PGR e brincou dizendo que hoje há "uns 80" candidatos no páreo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia