Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Alterada em 07/08 às 17h17min

Eduardo Bolsonaro busca apoio no Senado para embaixada nos EUA

Indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)  para a embaixada dos EUA depende de aprovação do Senado

Indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada dos EUA depende de aprovação do Senado


MARYANNA OLIVEIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Estadão Conteúdo
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) conversa com senadores, nesta quarta-feira (7), buscando apoio para a indicação à embaixada brasileira em Washington, que pode ser oficializada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta semana.
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) conversa com senadores, nesta quarta-feira (7), buscando apoio para a indicação à embaixada brasileira em Washington, que pode ser oficializada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta semana.
A indicação depende de aprovação do Senado. "Se eu for merecedor de ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos, certamente é uma missão que eu vou assumir, mas depende dos senadores", disse o deputado antes de uma reunião com o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS).
O colegiado analisa a indicação e realiza uma sabatina com o escolhido antes da votação no plenário.
Eduardo Bolsonaro disse que os elogios do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o ajudam na busca pela embaixada.
Para a indicação ser encaminhada pelo presidente Jair Bolsonaro, disse o parlamentar, os Estados Unidos precisam oficializar uma resposta. A declaração de Trump, no entanto, já pode ser entendida como uma aceitação ao chamado "pedido de agrément" do Itamaraty, afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia