Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Congresso Nacional

Alterada em 05/08 às 19h38min

Maia: 'Empresário foi patriota na Previdência, quero ver o mesmo na tributária'

Segundo o presidente da Câmara, "reforma da Previdência não afetou o empresário e ser patriota nos interesse dos outros é fácil"

Segundo o presidente da Câmara, "reforma da Previdência não afetou o empresário e ser patriota nos interesse dos outros é fácil"


EVARISTO SA /AFP/JC
Estadão Conteúdo
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou nesta segunda-feira (5), um recado aos empresários brasileiros dizendo que gostaria de ver da parte deles o mesmo "patriotismo" que mostraram em favor da Previdência na reforma tributária.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou nesta segunda-feira (5), um recado aos empresários brasileiros dizendo que gostaria de ver da parte deles o mesmo "patriotismo" que mostraram em favor da Previdência na reforma tributária.
"O empresário brasileiro foi muito patriota na reforma da Previdência. Quero ver o mesmo patriotismo na reforma tributária. A reforma da Previdência não afetou o empresário e ser patriota nos interesse dos outros é fácil", disse o presidente da Câmara ao participar de evento da Fundação Estudar, em São Paulo.
Maia fez questão de ressaltar que não estava falando para todos os empresários, mas sinalizou que grande parte do empresariado precisa pensar mais no coletivo.
Antes, o presidente da Câmara disse que por muito tempo votou projetos pelas orientações políticas e partidárias, mas que agora passou a votar de acordo com suas convicções sobre o que é bom para o País.
Ele lembrou que quase perdeu uma eleição por ter votado favorável à reforma trabalhista de Fernando Henrique Cardoso e que no governo Dilma Rousseff votou favorável a Medidas Provisórias enviadas pelo ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy à Câmara mesmo de oposição ao governo da petista.
O voto político, segundo o presidente da Câmara, nem sempre atende aos interesses do País. "Muitas vezes o voto político é o voto do quanto pior melhor, mesmo que o País esteja caminhando para a beira do precipício", disse o deputado a uma plateia de jovens.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia