Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Reforma da Previdência

05/08/2019 - 17h35min. Alterada em 05/08 às 17h35min

Onyx: 'Projetamos entre 20 e 30 de setembro votação da Previdência no Senado'

Nesta terça, Onyx deve ter um café da manhã com Rodrigo Maia para mapear os votos do segundo turno

Nesta terça, Onyx deve ter um café da manhã com Rodrigo Maia para mapear os votos do segundo turno


CLAITON DORNELLES /JC
Estadão Conteúdo
O governo espera votar a reforma da Previdência no Senado entre os dias 20 e 30 de setembro, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, após se reunir com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), na residência do parlamentar.
O governo espera votar a reforma da Previdência no Senado entre os dias 20 e 30 de setembro, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, após se reunir com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), na residência do parlamentar.
Na Câmara, a expectativa do Planalto é conseguir aprovar a proposta em segundo turno entre terça (6) e quarta-feira (7). "Estamos nesta retomada. Vamos azeitar aí as relações do poder Executivo e o Legislativo para que a gente tenha boas vitórias em favor do Brasil", comentou Onyx.
Nesta terça, Onyx deve ter um café da manhã com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para mapear os votos do segundo turno. O governo espera manter o placar da primeira votação, de 379 votos favoráveis. "Nos nossos cálculos, a gente deve, a princípio, manter o placar. Se tiver alguma perda, pode ser por um ou dois votos. Não mais do que isso", afirmou o chefe da Casa Civil.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia