Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

Edição impressa de 24/07/2019. Alterada em 24/07 às 03h00min

Bolsonaro diz amar o Nordeste e ter sangue 'cabra da peste' na família

Ao inaugurar um aeroporto no interior da Bahia, nesta terça-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que ama o Nordeste e que faz um governo sem divisão por região. "Não estamos no Nordeste, estamos no Brasil", disse o presidente, que falou ainda em "sangue cabra da peste" na família.
Ao inaugurar um aeroporto no interior da Bahia, nesta terça-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que ama o Nordeste e que faz um governo sem divisão por região. "Não estamos no Nordeste, estamos no Brasil", disse o presidente, que falou ainda em "sangue cabra da peste" na família.
Essa foi a primeira visita do presidente à região após ter sido divulgado um vídeo em que Bolsonaro fala sobre "governadores de paraíba" e cita o governador do Maranhão. "Não tem que ter nada para esse cara (Flávio Dino, PCdoB)".
Após essa fala polêmica governadores do Nordeste, Bolsonaro negou que tenha usado o termo "paraíba" para criticar nordestinos e disse que as críticas foram direcionadas a dois governadores: Flávio Dino, do Maranhão, e João Azevedo (PSB), da Paraíba.
O governador da Bahia, Rui Costa (PT), que não apareceu no evento, vetou a participação da Polícia Militar da Bahia na segurança do ato de inauguração do novo aeroporto de Vitória da Conquista (518 quilômetros de Salvador), com a participação de Bolsonaro.
A medida foi criticada por Bolsonaro em uma rede social:"Lamentável a decisão do governador da Bahia que não autorizou a presença da Polícia Militar para a nossa segurança. Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante Geral", disse.
A inauguração do novo aeroporto acontece em meio a uma disputa de bastidor entre governador e o presidente pela paternidade da obra.
A obra do novo aeroporto, com capacidade para atender até 500 mil passageiros por ano, foi executada pelo governo da Bahia. Foram investidos R$ 106 milhões,sendo R$ 75 milhões do governo federal e R$ 31 milhões do governo do Estado.
Os recursos federais, oriundos de emendas da bancada baiana no Congresso Nacional, foram repassados ao governo baiano durante as gestões Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB). O último repasse do contrato foi realizado em novembro de 2018, ainda sob Temer.
O aeroporto foi batizado pelo governo da Bahia com o nome do cineasta baiano Glauber Rocha (1939-1981). Nascido em Vitória da Conquista, onde passou parte da infância, Glauber foi um dos idealizadores do Cinema Novo e dirigiu filmes como "Terra em Transe" e "Deus e o Diabo na Terra do Sol", este último indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes.
A cineasta Paloma Rocha, filha de Glauber Rocha, também cancelou a participação que faria na inauguração do aeroporto.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia