Porto Alegre, segunda-feira, 27 de julho de 2020.
Dia do Despachante.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 27 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

governo federal

- Publicada em 03h04min, 23/07/2019. Atualizada em 03h00min, 23/07/2019.

Presidente Bolsonaro recua em declaração sobre desmatamento

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a criticar, nesta segunda-feira (22), a divulgação de dados de desmatamento pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mas reconheceu que a declaração de que os dados não eram verdadeiros foi "exagerada". "Levando-se em conta até a época, foi exagerada. Em sendo exagerada, você pode adjetivá-las da maneira que você achar melhor", disse, ao ser questionado se houve precipitação na fala.
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a criticar, nesta segunda-feira (22), a divulgação de dados de desmatamento pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mas reconheceu que a declaração de que os dados não eram verdadeiros foi "exagerada". "Levando-se em conta até a época, foi exagerada. Em sendo exagerada, você pode adjetivá-las da maneira que você achar melhor", disse, ao ser questionado se houve precipitação na fala.
Na sexta-feira passada, o presidente Bolsonaro questionou os dados do próprio governo e disse que suspeitava que o diretor do Inpe estava "a serviço de alguma ONG".
Após o episódio, o diretor do instituto, Ricardo Galvão, rebateu acusações e disse que não iria pedir demissão. Bolsonaro disse que está acostumado com "hierarquia e disciplina". "E em um governo, eu sei que a grande maioria é de civis, nós devemos no mínimo ter isso também. No mínimo."
O presidente também voltou a criticar o Inpe. Disse que antes de divulgar os dados, o instituto deve informar ao ministro Marcos Pontes, de Ciência e Tecnologia. E que ele, Bolsonaro, deve ser informado para não ser surpreendido.
O presidente voltou a dizer que o chefe do Inpe será ouvido pelo ministro. "No meu entendimento, houve um percentual muito grande de desmatamento. E o chefe do Inpe vai ser ouvido, sim, pelos ministros, para conversar com ele para que isso não continue acontecendo."
 
Comentários CORRIGIR TEXTO