Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de julho de 2019.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

Alterada em 12/07 às 17h33min

Deputados defendem Fundo Amazônia em carta a embaixador da Noruega

Folhapress
Parlamentares de oposição entregaram nesta sexta-feira (12) uma carta em defesa ao Fundo Amazônia para o embaixador da Noruega no Brasil, Nils Martin Gunning. Os deputados federais Nilto Tatto (PT-SP) e Airton Faleiro (PT-PA) representaram 24 parlamentares em encontro com o embaixador pela manhã.
Parlamentares de oposição entregaram nesta sexta-feira (12) uma carta em defesa ao Fundo Amazônia para o embaixador da Noruega no Brasil, Nils Martin Gunning. Os deputados federais Nilto Tatto (PT-SP) e Airton Faleiro (PT-PA) representaram 24 parlamentares em encontro com o embaixador pela manhã.
Eles devem fazer o mesmo com Georg Witschel, embaixador da Alemanha.
O documento expressa "forte preocupação" diante da ameaça de extinção do instrumento pelo governo Bolsonaro.
Os parlamentares afirmam que o fundo é essencial ao cumprimento de metas de redução de desmatamentos.
"Também reafirmamos nosso forte propósito de defender incondicionalmente os compromissos brasileiros relativos ao Acordo de Paris. Sem dúvida um instrumento fundamental para o cumprimento da retomada do controle dos desmatamentos ilegais, que infelizmente dão sinais de novo aumento expressivo de cerca de 88% em relação ao ano passado, segundo dados oficiais do INPE", diz o documento.
O diplomata ouviu a posição dos parlamentares e expressou compromisso em buscar uma solução, mas sem expressar qualquer posição comprometedora.
O fundo foi criado em 2009 pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo BNDES. A carta destaca que, naquele momento "às vésperas da COP de Copenhagen em 2009, o Brasil conseguia reverter as altas taxas de desmatamento".
Na quinta-feira (11), o Ministério Público Federal no Amazonas abriu inquérito civil público para apurar supostas irregularidades cometidas em projetos financiados pelo Fundo Amazônia.
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, já afirmou não há indicadores que demonstrem que o fundo contribui para a diminuição do desmatamento e que o Brasil já atingiu o desmatamento zero do ponto de vista relativo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia