Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

11/07/2019 - 13h24min. Alterada em 11/07 às 15h26min

'Tabata Amaral, o PSL está de braços abertos para você', diz Frota no Twitter

'Partido não vai faltar. Força aí, PDT', ironizou Frota

'Partido não vai faltar. Força aí, PDT', ironizou Frota


ANTONIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/JC
Estadão Conteúdo
Com o voto a favor da reforma da Previdência, a deputada federal Tabata Amaral se mantém entre os principais assuntos do Twitter desde a quarta-feira (10), dia da votação em que a proposta foi aprovada em 1º turno na Câmara com 379 votos. Ela diz ter votado por convicção.
Com o voto a favor da reforma da Previdência, a deputada federal Tabata Amaral se mantém entre os principais assuntos do Twitter desde a quarta-feira (10), dia da votação em que a proposta foi aprovada em 1º turno na Câmara com 379 votos. Ela diz ter votado por convicção.
"Tabata Amaral, o PSL está de braços abertos para você", escreveu seu colega de Câmara Alexandre Frota (PSL). "Partido não vai faltar. Força aí, PDT", ironizou o deputado. O PDT havia fechado questão contra a reforma, mas oito deputados declararam voto a favor.
Na terça-feira (9), o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que Carlos Lupi, presidente da sigla, ameaçou expulsar do partido aqueles que votassem a favor da reforma da Previdência. Padrinho político de Tabata, o candidato a presidente pelo PDT em 2018, Ciro Gomes, também fez publicações em que defende a expulsão de quadros que fossem a favor da reforma.
"A reforma que hoje votamos não pertence mais ao governo; ela sofreu diversas alterações feitas por esse mesmo Congresso. O sim que digo à reforma não é sim ao governo e também não é um não a decisões partidárias", disse Tabata. "Meu voto é um voto de consciência, não é um voto vendido, não é por dinheiro de emendas. É um voto seguindo minhas convicções e tudo que estudei até aqui".
Ameaçada no PDT, Tabata já teve convite informal de outras legendas, entre elas o Cidadania por causa de afinidades entre as convicções dela e o partido, segundo deputados da legenda. Ela foi sondada pelo deputado Marcelo Calero (RJ) e pelo presidente nacional do partido, Roberto Freire, ambos ex-ministros da Cultura, e pelo presidente do diretório em São Paulo, deputado Arnaldo Jardim (SP).
Nas redes, o nome de Tabata tem dominado o debate sobre a votação da Previdência. Em montagens, a deputada aparece com camisetas do partido Novo e do PSL. Bastante criticada por parte da esquerda, ela foi elogiada por grupo que defendiam a reforma, como Movimento Brasil Livre.
"Tabata Amaral merece nossos parabéns essa semana: mesmo sob ameaça de expulsão de seu partido, o PDT, ela votará pela reforma da Previdência", publicou o MBL antes da votação. "Tabata será um quadro importante da esquerda se não compactuar com a velha turma que trabalha no quanto pior, melhor". Nesta quinta-feira, 11, com a proposta da reforma já aprovada, o perfil do MBL no Twitter publicou: " E aí o PDT já expulsou a Tabata?"
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia