Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

Edição impressa de 11/07/2019. Alterada em 11/07 às 03h00min

Sociólogo Chico de Oliveira morre aos 85 anos em São Paulo

Oliveira foi um dos fundadores do PT, nos anos 1980, e do PSOL

Oliveira foi um dos fundadores do PT, nos anos 1980, e do PSOL


/DAMIÃO A FRANCISCO/DIVULGAÇÃO/JC
O sociólogo Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira morreu na madrugada desta quarta-feira (10) em São Paulo, aos 85 anos. Chico de Oliveira, como era conhecido, foi um dos fundadores do PT e estava afastado desde 2003, quando se filiou ao PSOL.
O sociólogo Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira morreu na madrugada desta quarta-feira (10) em São Paulo, aos 85 anos. Chico de Oliveira, como era conhecido, foi um dos fundadores do PT e estava afastado desde 2003, quando se filiou ao PSOL.
Nascido em Recife em 1933, formou-se na Universidade do Recife (atual Universidade Federal de Pernambuco) nos anos 1950, trabalhou na Sudene com o economista Celso Furtado, de quem se aproximou. No golpe de 1964, chegou a ficar preso por dois meses na capital pernambucana.
Durante décadas, foi dos mais importantes observadores da vida política e social brasileira, com uma visão sociológica e de esquerda. Ao longo dos anos, publicou ensaios influentes sobre sociologia e a realidade do Brasil, como "Crítica à razão dualista" (1972) e "O Ornitorrinco" (2003). Reunidos pela editora Boitempo em um mesmo livro, estes dois ensaios lhe renderam o Prêmio Jabuti na categoria Ciência Humanas em 2004.
Chico de Oliveira também teve participação direta na política. No início dos anos 1980, foi um dos fundadores do PT. Manteve sempre um distanciamento da burocracia partidária. No primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Chico de Oliveira foi um dos primeiros críticos da gestão petista.
Deixou o PT em 2003, para em seguida colaborar na fundação do PSOL. Atualmente, Oliveira era professor titular aposentado da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (Fflch-USP), onde ingressou como docente na Fflch em 1988. 
O velório aconteceu ontem no Salão Nobre do Prédio da Administração da Fflch, na capital paulista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia