Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Alterada em 03/07 às 18h16min

Agricultura está analisando alta de 88% no desmatamento na Amazônia, diz ministra

Segundo Tereza Cristina, a pasta está fazendo uma análise para saber o que o dado significa

Segundo Tereza Cristina, a pasta está fazendo uma análise para saber o que o dado significa


MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Estadão Conteúdo
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que o aumento de 88% no desmatamento na Amazônia Legal brasileira registrado em junho, em relação ao mesmo mês no ano passado, é "um número muito significativo para aparecer em um mês". Segundo ela, a pasta está fazendo uma análise para saber o que o dado significa, levantando inclusive a possibilidade de haver distorções (na comparação) nas imagens de satélite devido a menor quantidade de nuvens no período. Os dados consolidados do mês foram inseridos no sistema Terra Brasilis, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que o aumento de 88% no desmatamento na Amazônia Legal brasileira registrado em junho, em relação ao mesmo mês no ano passado, é "um número muito significativo para aparecer em um mês". Segundo ela, a pasta está fazendo uma análise para saber o que o dado significa, levantando inclusive a possibilidade de haver distorções (na comparação) nas imagens de satélite devido a menor quantidade de nuvens no período. Os dados consolidados do mês foram inseridos no sistema Terra Brasilis, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
O aumento expressivo foi divulgado poucos dias após a conclusão do acordo entre Mercosul e União Europeia, que tem um capítulo voltado para desenvolvimento sustentável e proteção ao meio ambiente. A ratificação do tratado depende do aval do Parlamento Europeu, que registrou na última eleição um crescimento dos "Verdes", que representam o quarto maior grupo de parlamentares na nova legislatura.
Na terça-feira (2), o ministro francês do Meio Ambiente, François de Rugy, afirmou que o tratado "só será ratificado se o Brasil respeitar os seus compromissos", especialmente em relação à luta contra o desmatamento da Amazônia. Mais cedo, a porta-voz do governo francês havia indicado que "a França não está pronta para ratificar" o compromisso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia