Porto Alegre, quinta-feira, 30 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 30 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Supremo Tribunal Federal

- Publicada em 03h02min, 23/04/2019. Atualizada em 03h00min, 23/04/2019.

AGU é contra pedido para suspender inquérito do STF

A Advocacia-Geral da União (AGU) se manifestou contra o pedido da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para suspender o inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar ofensas à Corte. Foi nesse processo que o ministro Alexandre de Moraes determinou e depois recuou da censura aos sites Crusoé e O Antagonista, por reportagem que citava o presidente do STF, Dias Toffoli. O inquérito foi aberto mediante portaria de Toffoli, sem manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), como é a praxe na Corte. Na última terça-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu o arquivamento do inquérito, mas Moraes preferiu mantê-lo vivo.
A Advocacia-Geral da União (AGU) se manifestou contra o pedido da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para suspender o inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar ofensas à Corte. Foi nesse processo que o ministro Alexandre de Moraes determinou e depois recuou da censura aos sites Crusoé e O Antagonista, por reportagem que citava o presidente do STF, Dias Toffoli. O inquérito foi aberto mediante portaria de Toffoli, sem manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), como é a praxe na Corte. Na última terça-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu o arquivamento do inquérito, mas Moraes preferiu mantê-lo vivo.
Para o ministro da AGU André Mendonça, o presidente da Corte tem a prerrogativa de abrir o inquérito quando se trata de defesa das prerrogativas do STF, mesmo sem pedido da PGR. 
 
Comentários CORRIGIR TEXTO