Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de abril de 2019.
Dia da Engenharia.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 10/04 às 17h57min

Centrão quer votar PEC do Orçamento antes de Previdência na CCJ da Câmara

Líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL) diz que não faz sentido deixar PEC para daqui 15 dias

Líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL) diz que não faz sentido deixar PEC para daqui 15 dias


Luis Macedo /CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Estadão Conteúdo
O Centrão deve impor uma barreira à celeridade da aprovação de reforma da Previdência na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ). Foi feito um pedido para que o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), paute na segunda-feira o encaminhamento da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo das emendas de bancada. "Já avisamos ao presidente da CCJ que é melhor pautar antes", disse o líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL). "Não faz sentido deixar essa PEC, que é consensual, para daqui 15 dias", reforçou.
O plenário do Senado concluiu na semana passada a votação da proposta de emenda à Constituição do Orçamento Impositivo, que engessa ainda mais as contas do governo. A matéria seguiu para uma nova análise da Câmara dos Deputados porque o texto sofreu mudanças no Senado.
Nesta quarta (10), os membros da CCJ da Câmara decidiram reduzir o tempo de discursos e limitar a participação de parlamentares que não constituem o colegiado para o debate sobre a reforma da Previdência na próxima semana. O acordo é válido apenas para a fase de debate e não para o período da votação da proposta. A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), chegou a dizer que a votação seria na terça-feira, mas não há consenso sobre isso e, com a iniciativa do Centrão, a votação pode atrasar ainda mais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia