Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de abril de 2019.
Dia da Engenharia.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Edição impressa de 10/04/2019. Alterada em 10/04 às 03h00min

Após 100 dias, presidente não cumpriu 2/3 de metas

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) não conseguirá cumprir todos os objetivos que elencou para os 100 primeiros dias de mandato, período que se encerra nesta quarta-feira. Em documento, divulgado no final de janeiro, a Casa Civil ressaltou que, em uma realização inédita, a gestão atual se comprometia a alcançar "metas objetivas" dentro do prazo estipulado.

Na lista de medidas que não serão finalizadas até esta semana há iniciativas como, por exemplo, a independência do Banco Central, a reestruturação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e a redução de tarifas do Mercosul.

Ao todo, o Palácio do Planalto estabeleceu 35 objetivos para os 100 dias. Destes, 20% do total não têm previsão de ser alcançado. No restante, 34% já foram realizados e anunciados e 46% estão em fase final e têm chance de serem cumpridos até esta quarta-feira.

Outra meta proposta, a redução da tarifa do Mercosul, ainda está em negociação com Paraguai, Uruguai e Argentina. Internamente, o Itamaraty acredita que o objetivo deve ser alcançado até o final do ano, mas ainda sem uma data definida.

Prometido também para o período, o estabelecimento de critérios para o exercício de cargo de dirigente de bancos federais ainda está em discussão no Ministério da Economia e na Casa Civil. Em estágio semelhante está a racionalização de estruturas e processos ministeriais, iniciativa que passa por estudo para avaliar seu alcance.

O intercâmbio de informações entre instituições de ensino superior e escolas públicas para o ensino de ciências, iniciativa também elencada na relação de metas, ainda está com os editais de convocação na "fase de preparação", segundo o Ministério de Ciência e Tecnologia.

Na quinta-feira, o presidente fará evento no Palácio do Planalto para apresentar um balanço da lista de objetivos. A ideia é que ele anuncie medidas como o pagamento do 13º salário para beneficiários do Bolsa Família, a regulamentação da educação domiciliar e a conversão de multas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

Os ministérios da Economia e da Justiça foram os que conseguiram cumprir mais metas até o momento. Antes mesmo de completar os 100 dias, eles concluíram e anunciaram sete objetivos, entre eles o pacote anticrime, o decreto de flexibilização do porte de armas, a medida provisória das fraudes do INSS, o corte de funções comissionadas e o decreto que endurece regras para realização de concursos.

Apesar de ser considerada a prioridade do governo neste primeiro semestre, a reforma previdenciária não foi incluída na relação de metas. A expectativa da equipe econômica é de aprová-la no Congresso Nacional até julho, mas a previsão é considerada de difícil cumprimento.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), disse que o Palácio do Planalto pretende também adotar novas metas para serem alcançadas até o final deste ano.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia