Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de abril de 2019.
Dia Nacional da Conservação do Solo. Dia Mundial do Desenhista.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Entrevista Especial

Edição impressa de 12/04/2019. Alterada em 15/04 às 09h51min

Perfil

Luiz Felipe Pondé tem 59 anos e é natural de Recife, capital de Pernambuco. De origem judaica, é filósofo e escritor. Iniciou a graduação em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), mas não concluiu. É graduado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), onde também fez doutorado em parceria com a Université Paris VIII, em Saint-Denis, na França. Recebeu o título de pós-doutor pela Universidade de Tel Aviv, de Israel. Atualmente, é professor de Filosofia da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) e de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Tem mais de 15 livros publicados, entre os quais: Filosofia do cotidiano (2019); A era do ressentimento: uma agenda para o contemporâneo (2014); Guia politicamente incorreto da Filosofia (2012); Contra um mundo melhor: ensaios do afeto (2010); e O homem insuficiente: comentários de psicologia pascaliana (2001). É colunista do jornal Folha de S.Paulo e comentarista da TV Cultura.
Entrevistas com grandes nomes do cenário nacional são importantes para você?
>> Assine o JC e receba conteúdos como este onde você estiver. Clique agora! <<

Perfil

Henrique Fontana Júnior tem 59 anos e é natural de Porto Alegre. Formou-se em Administração de Empresas e em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Foi vereador em Porto Alegre por dois mandatos, entre 1993 e 1999 e secretário municipal de Saúde em 1997. Atualmente, cumpre o sexto mandato como deputado federal, reeleito em 2018 com 108 mil votos. É vice-líder do PT e da oposição na Câmara dos Deputados e titular na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional. Na Câmara, foi líder dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no período de 2008 a 2010, e de Dilma Rousseff (PT), de 2014 a 2016. Também foi relator da Comissão Especial da Reforma Política, entre 2011 e 2015. Por sua atuação no Parlamento, recebeu sete vezes o Prêmio Congresso em Foco como um dos 25 melhores deputados do Congresso Nacional e foi eleito 16 vezes como um dos "100 Cabeças do Congresso" pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Fabio Barcelos 08/04/2019 11h24min
E a entrevistadora "chapa branca" poderia ter explorado o período que correspondeu a mais de uma década do nobre deputado no governo, perguntando-lhe porque o governo dele não fez nada para melhorar a previdência e tributar os lucros e dividendos dos "ricos".
Fabio Barcelos 08/04/2019 11h13min
Vai passar sim, Fontana... não te preocupas! E depois, se der no jeito, explica melhor esta "questão" do Bradesco! kkkk
Julio Rebelo 08/04/2019 09h55min
Faltou perguntar sobre a aposentadoria dos parlamentares???
João 08/04/2019 09h46min
Credibilidade nenhuma deste cidadão. Não quer perder seus privilégios. deputado vai se aposentar com 5 mil, entenderão porque da indignação.
a 08/04/2019 09h23min
Neste ponto o Fontana tem razão,mesmo sendo petista.Se for aprovado na íntegra,o trabalhador comum vai se lascar.Vai ser como no Chile.Lá tem até aposentados se suicidando porque ganham abaixo de um mínimo e não tem como mudar.Vai morrer ganhando uma miséria.Então preferem tirar a própria vida do que viver em situação de miserabilidade.