Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de março de 2019.
Dia contra a Discriminação Racial.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

21/03/2019 - 08h16min. Alterada em 21/03 às 09h09min

Bolsonaro chega a Santiago para incrementar o comércio bilateral

Entre as pautas estão mudanças na legislação previdenciária brasileira

Entre as pautas estão mudanças na legislação previdenciária brasileira


BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/JC
Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro chega nesta quinta-feira (21) ao Chile onde pretende abrir caminho para  impulsionar as relações comerciais brasileiras e ampliar a carteira de investidores estrangeiros no Brasil. A pauta de assuntos é bastante diversificada e inclui mudanças na legislação previdenciária brasileira inspirada no modelo chileno.
A proposta previdenciária do Chile foi apresentada por José Piñera, irmão do presidente chileno Sebastián Piñera. José foi ministro do Trabalho e Previdência Social e implementou o sistema no começo dos anos de 1980.
No encontro com Piñera, Bolsonaro tenciona defender a retirada do papel o acordo de livre comércio assinado entre os dois países no final de 2018.
Autoridades brasileiras que já classificam a relação Brasil-Chile como "ágil e dinâmica" e esperam que o encontro de alto nível entre os dois presidentes eleitos em 2018 acelere a ratificação do acordo, ainda dependente do aval de parlamento dos dois países.
O Chile é segundo parceiro comercial do Brasil na América do Sul, superado apenas pela Argentina. No ano passado, as trocas comerciais com o Chile tiveram um crescimento de 15% com o registro do maior fluxo de exportações brasileiras que cresceram mais de 20%, totalizando US$ 10 bilhões.
Quanto aos investimentos recíprocos, o Brasil é o maior receptor de investimentos chilenos, acumulando mais de US$ 35 bilhões em estoque. Os investimentos brasileiros no Chile chegaram a US$ 4,5 bilhões.
Somando estoques, o total de US$ 40 bilhões supera inclusive o da relação com argentinos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia