Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019.
Dia da Criação do Ministério das Comunicações.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições

Edição impressa de 26/02/2019. Alterada em 25/02 às 01h00min

De olho em 2022, Haddad descarta disputar prefeitura de São Paulo

Candidato derrotado do PT à presidência da República no ano passado, Fernando Haddad descarta a hipótese de concorrer a prefeito de São Paulo em 2020. A ideia de ter o petista na disputa foi manifestada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a pessoas que o visitam em sua cela na Superintendência da Polícia Federal do Paraná.
Mesmo preso em Curitiba há 10 meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, Lula continua como principal liderança do PT e ainda passam pelo seu crivo todas as decisões importantes tomadas pelo partido. O argumento do ex-presidente é que a legenda vive uma situação difícil diante do governo de Jair Bolsonaro (PSL) e, por isso, os principais nomes da sigla devem estar na urna em 2019.
Haddad descarta de todas as formas concorrer a prefeito porque não tiraria nenhuma vantagem da disputa. Se ganhar, fica preso ao cargo até 2024 e não teria como tentar a presidência da República em 2022. Se perder, veria enfraquecido o seu capital político de 47 milhões de votos obtidos em 2018. Haddad foi prefeito de São Paulo entre 2013 e 2016. Ao tentar se reeleger, perdeu no primeiro no primeiro turno para João Doria (PSDB), atual governador de São Paulo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia