Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

08/02/2019 - 16h41min. Alterada em 08/02 às 16h41min

Bolsonaro não tem 'disfunções orgânicas' e teve melhora dos exames, diz boletim

Em imagem divulgada mais cedo, Bolsonaro ainda estava com a sonda, retirada nesta sexta-feira

Em imagem divulgada mais cedo, Bolsonaro ainda estava com a sonda, retirada nesta sexta-feira


REPRODUÇÃO/JC
Estadão Conteúdo
O presidente da República, Jair Bolsonaro, não tem "disfunções orgânicas" e houve melhora dos exames laboratoriais, afirma boletim médico divulgado no período da tarde desta sexta-feira (8) pelo Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde ele está internado após passar por uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia. Bolsonaro permanece internado na Unidade Semi-Intensiva.
Ele teve boa evolução clínica nas últimas 24 horas e continua estável, sem febre nem dor, afirma o boletim médico.
O dreno colocado no abdome há quatro dias foi retirado nesta sexta-feira, pela equipe da radiologia intervencionista, de acordo com o boletim.
Também foi retirada a sonda nasogástrica por causa da melhora do quadro intestinal e da boa aceitação da dieta líquida.
O hospital afirma que Bolsonaro permanece com os antibióticos e nutrição parenteral. São mantidas as medidas de prevenção de trombose venosa e realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto, diz o comunicado do Albert Einstein.
As visitas permanecem restritas por ordem médica.
Assinam o boletim os médicos Antônio Luiz Macedo (cirurgião), Leandro Echenique (clínico e cardiologista) e Miguel Cendoroglo (diretor-superintendente do hospital).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia