Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

18/01/2019 - 10h49min. Alterada em 18/01 às 10h50min

Bolsonaro condecora Benjamin Netanyahu com ordem do Cruzeiro do Sul

Transferência de embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém estreitou laços entre líderes

Transferência de embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém estreitou laços entre líderes


LÉO CORREA/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro condecorou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, com a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, no grau de Grã-Cruz. O decreto com a homenagem está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (18). Segundo o Itamaraty, a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul é uma comenda que o presidente do Brasil atribui a personalidades estrangeiras "que se tenham tornado dignas do reconhecimento da nação brasileira".
Na campanha eleitoral, Bolsonaro prometeu transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém, o que aproximou os dois líderes, embora a decisão seja controversa e tenha desagradado países árabes. Com a mudança, o Brasil estará admitindo que a capital de Israel é Jerusalém, passando por cima da posição reivindicada pela Palestina e o reconhecimento dos dois Estados deliberado pela ONU.
Bolsonaro e Netanyahu também já manifestaram a intenção de intensificar e ampliar parcerias entre Brasil e Israel. Netanyahu veio ao País no fim de dezembro e ficou para a posse de Bolsonaro, em uma primeira visita oficial de um primeiro-ministro israelense ao Brasil.
Ao final da visita de Netanyahu no Rio de Janeiro, dias antes da posse, Bolsonaro disse que Brasil e Israel, mais do que parceiros, são "irmãos no futuro, na economia, em tecnologia, em tudo aquilo que possa trazer benefícios para os dois países". Netanyahu agradeceu pela "gentilíssima recepção". "Israel é a terra prometida. E o Brasil é terra da promessa (para o futuro)", afirmou o premiê na ocasião.
O primeiro-ministro destacou que a cooperação entre os dois países poderá trazer "benefícios tremendos aos nossos dois povos, na economia, no emprego, na segurança, na agricultura, recursos hídricos, na indústria".
Netanyahu disse que convidou o presidente Bolsonaro para visitar Israel, e o convite foi aceito. "Ele será bem-vindo como um grande amigo, um grande aliado, um irmão", disse. Bolsonaro planeja visitar Israel até março.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia