Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 12 de janeiro de 2019.
Aniversário da Caixa Econômica Federal.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Violência

12/01/2019 - 16h47min. Alterada em 12/01 às 16h55min

Bolsonaro elogia no Twitter PL de Lasier Martins que tipifica terrorismo no Brasil

Presidente citou PL de senador gaúcho e diz que criminosos não olham partido de governos

Presidente citou PL de senador gaúcho e diz que criminosos não olham partido de governos


TWITTER/REPRODUÇÃO/JC
O presidente Jair Bolsonaro chamou de 'louvável' o projeto de lei, de autoria do senador Lasier Martins (PSD-RS), que endurece a Lei nº 13.260 (de 16/03/2016) que tipifica o conceito de terrorismo e regulamenta atuação de combate do Poder Público. Bolsonaro se manifestou em favor do PLS 272/2016 na sua conta pessoal no Twitter, neste sábado (12), ao comentar ações do crime organizado no Ceará.
O senador gaúcho retribuiu a postagem citando o comentário do presidente em seu perfil na mesma rede social. "Meu PLS 272/2016, que inclui na lista de atos classificados como terroristas incendiar e depredar meios de transporte e outros bens públicos ou privados, sendo destacado pelo presidente @jairbolsonaro. Nossa legislação precisa ser aperfeiçoada para fortalecer o combate ao crime", reforçou Lasier. 
Conforme o projeto, em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, fica classificado como terrorismo "incendiar, depredar, saquear, destruir ou explodir meios de transporte ou qualquer bem público ou privado, com o objetivo de forçar a autoridade pública a praticar ato, abster-se de o praticar ou a tolerar que se pratique, ou ainda intimidar certas pessoas, grupos de pessoas ou a população em geral".

Bolsonaro havia registrado em seu perfil:

"- Ao criminoso não interessa o partido desse ou daquele governador. Hoje ele age no Ceará, amanhã em SP, RS ou GO.

- Suas ações, como incendiar, explodir, ... bens públicos ou privados, devem ser tipificados como TERRORISMO.

- O PLS 272/2016 do Sen Lasier Martins é louvável." 

O projeto também criminaliza "interferir, sabotar ou danificar sistemas de informática ou bancos de dados, com motivação política ou ideológica, com o fim de desorientar, desembaraçar, dificultar ou obstar seu funcionamento". 
Em outubro passado, o governo federal instituiu uma força-tarefa de inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil. O grupo, sob a coordenação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI), tem como função "analisar e compartilhar dados e de produzir relatórios de inteligência com vistas a subsidiar a elaboração de políticas públicas e a ação governamental no enfrentamento a organizações criminosas que afrontam o Estado brasileiro e as suas instituições".
Com agência Brasil

 

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia