Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Alterada em 10/01 às 15h53min

Paraguai anuncia rompimento diplomático com Venezuela

Decisão do presidente paraguaio é baseada em não reconhecimento do segundo mandato de Maduro

Decisão do presidente paraguaio é baseada em não reconhecimento do segundo mandato de Maduro


ANTONIO CRUZ/ABR/JC
Agência Brasil
O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, anunciou nesta quinta-feira (10) o rompimento das relações diplomáticas com a Venezuela. A decisão foi anunciada logo após a posse do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que cumprirá o segundo mandato.
"O governo da República do Paraguai, no exercício de seus poderes constitucionais e de soberania nacional, adota hoje a decisão de romper relações diplomáticas com a República Bolivariana da Venezuela", disse Mario Abdo, informando que determinou o fechamento da representação diplomática paraguaia no país. "Organizei o fechamento de nossa embaixada e a retirada imediata de pessoal diplomático do Paraguai acreditado naquele país."
O presidente paraguaio ressaltou que a decisão é baseada no não reconhecimento do novo mandato de Maduro, que considera "resultado de um processo eleitoral ilegítimo".
Para Mario Abdo, os líderes políticos devem adotar medidas que protejam a população venezuelana e a democracia: "a causa da liberdade, da democracia, a causa da Venezuela é uma causa justa". "Que Deus proteja a Venezuela e abençoe o Paraguai", concluiu o presidente paraguaio.
Mario Abdo esclareceu que esta decisão não implica falta do Paraguai a seu compromisso com a Venezuela em dívida pela empresa petrolífera estatal Petropar com a PDVSA da Venezuela, de acordo com o Acordo de Caracas em 2004. "Essa dívida, que está agora no processo de litígio, será homenageada pelo Estado paraguaio em forma e tempo, e esse dinheiro servirá para a reconstrução da democracia na Venezuela ", disse Abdo.
*Com informações da IPParaguay, agência pública de notícias do Paraguai
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia