Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

10/01/2019 - 12h34min. Alterada em 10/01 às 12h51min

Marcos Pontes rebate Damares e diz que 'não se deve misturar ciência com religião'

Estadão Conteúdo
O ministro de Ciência e Tecnologia Marcos Pontes rebateu, nesta quinta-feira (10) declarações da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. Em vídeo divulgado nesta quarta-feira (9) a ministra e pastora disse que a igreja evangélica perdeu espaço na História ao "deixar" a Teoria da Evolução entrar nas escolas sem ser questionada.
"Ela deve ter falado isso em algum tipo de contexto que eu não sei exatamente", disse Pontes, em entrevista à rádio CBN. "Mas, do ponto de vista da ciência, são muitas décadas de estudo para formar a teoria da evolução desde o início. Ou seja, não se deve misturar ciência com religião", disse o ministro.
No vídeo, sem data de identificação, Damares fala: "A Igreja Evangélica perdeu espaço na História. Nós perdemos o espaço na ciência quando nós deixamos a teoria da evolução entrar nas escolas, quando nós não questionamos. E aí os cientistas tomaram conta dessa área."
Em nota enviada à TV Globo, o Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos informa que a declaração "ocorreu no contexto de uma exposição teológica e não tem qualquer relação com as políticas públicas que serão fomentadas por este ministério. Não há relação entre a atuação da titular desta pasta como líder religiosa e suas funções como gestora pública."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia