Porto Alegre, domingo, 02 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 02 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Assembleia Legislativa

- Publicada em 22h34min, 02/01/2019.

Deputados aprovam reforma administrativa

Líder do governo, Antunes (e) articulou aprovação das matérias

Líder do governo, Antunes (e) articulou aprovação das matérias


/VINICIUS REIS/AG. ALRS/JC
Diego Nuñez

As mudanças na estrutura administrativa do governo do Estado, encaminhadas ainda na gestão José Ivo Sartori (MDB) a pedido do novo governador, Eduardo Leite (PSDB), foram aprovadas ontem na sessão extraordinária da Assembleia Legislativa com 36 votos favoráveis e 13 contrários. O governo será composto por 21 pastas, além da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e da Casa Militar, com status de secretaria. A proposta foi sancionada ontem mesmo pelo governador tucano, poucas horas após a sessão plenária.

As mudanças na estrutura administrativa do governo do Estado, encaminhadas ainda na gestão José Ivo Sartori (MDB) a pedido do novo governador, Eduardo Leite (PSDB), foram aprovadas ontem na sessão extraordinária da Assembleia Legislativa com 36 votos favoráveis e 13 contrários. O governo será composto por 21 pastas, além da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e da Casa Militar, com status de secretaria. A proposta foi sancionada ontem mesmo pelo governador tucano, poucas horas após a sessão plenária.

Dentre as principais mudanças do formato de governo utilizado por Sartori para a estrutura de Leite, estão a fusão das pastas de Meio Ambiente e Infraestrutura, que também incorporará as áreas de saneamento e minas e energia, e a absorção dos segmentos de pesca e de desenvolvimento rural, na secretaria responsável pela agricultura.

Estes dois pontos foram os que trouxeram divergências para a aprovação na apreciação do projeto. Os 13 votos contrários foram das bancadas de PCdoB, PSOL e PT. Esses partidos são favoráveis que cada governo possa montar uma estrutura de acordo com seu projeto de governo, mas, segundo explicou o deputado Luiz Fernando Mainardi (PT), "a bancada votou contra a extinção das secretarias de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Rural". Para a também petista Stela Farias, "o órgão que executa não pode ser o mesmo que fiscaliza".

Líder do novo governo, Frederico Antunes (PP) pediu para que os parlamentares dessem "ao governo eleito democraticamente a oportunidade de optar pela melhor forma de começar o trabalho", argumentou que as políticas públicas das pastas serão mantidas e disse que "não é a nomenclatura das secretarias que faz a diferença, mas sim a prática da política aplicada".

O chefe da Casa Civil, Otomar Vivan (PP), corroborou com a fala de Antunes: "reafirmamos que estas políticas públicas, tanto as desempenhadas pelo Desenvolvimento Rural, como igualmente as desempenhadas pelo Meio Ambiente, continuarão sendo executadas. As estruturas existentes estarão agregadas, juntas sob um nome". O projeto também cria a Secretaria da Administração Penitenciária - retirando esta prerrogativa da Segurança Pública -, a Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios e a Secretaria Extraordinária de Relações Federativas e Internacionais.

Também na sessão de ontem do Legislativo estadual, os deputados aprovaram projetos, ainda encaminhados pela gestão Sartori, que prolongam contratos temporários de 30.999 servidores. A grande maioria de professores e de profissionais que prestam serviços para a educação pública estadual, além da prorrogação de parte dos contratos de servidores do Instituto Geral de Perícias.

O poder Executivo ficou autorizado a contratar créditos de até R$ 3,044 bilhões, atualizados pelos índices e critérios incidentes sobre o pagamento de precatórios.

Para a sessão extraordinária, dois deputados suplentes assumiram o mandato: Paulo Odone (PPS) entrou no lugar do deputado Catarina Paladini (PR), secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, e Maria Helena Sartori (MDB) participou no lugar do deputado Juvir Costella (MDB), novo titular da pasta de Logística e Transportes.

Comentários CORRIGIR TEXTO