Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

transição no planalto

Edição impressa de 24/12/2018. Alterada em 24/12 às 01h00min

Cerimonial faz ensaio para a posse de Bolsonaro

O cerimonial do Palácio do Planalto realizou, neste domingo, o primeiro ensaio geral para a posse do presidente eleito da República, Jair Bolsonaro (PSL), marcada para o dia 1 de janeiro. Um segundo será realizado no próximo dia 30.

O icônico Rolls Royce, veículo tradicionalmente utilizado no percurso pela Esplanada dos Ministérios, foi usado na simulação. Dois figurantes fizeram o papel do presidente eleito e da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, no entanto, afirmou não haver ainda uma decisão se Bolsonaro desfilará no carro aberto. Ele acompanhou o treinamento no local.

O cortejo presidencial saiu da Catedral Metropolitana de Brasília por volta das 14h30min, mesmo horário em que o evento oficial está marcado para começar. Ele seguiu pela Esplanada dos Ministérios até o Congresso Nacional, onde Bolsonaro fará seu discurso oficial.

Ali, os figurantes ficaram por cerca de 45 minutos, tempo estimado para a permanência também de Bolsonaro. O cortejo seguiu então para o Palácio do Planalto, onde Bolsonaro receberá a faixa presidencial das mãos de Michel Temer (MDB). Os dois figurantes chegaram sorridentes e acenando para as poucas pessoas que acompanhavam, curiosas, o ensaio. Eles subiram a rampa, ladeada pelos Dragões da Independência, que vestiam apenas um uniforme militar e não o tradicional uniforme branco de gala.

Depois, os dois figurantes se dirigiram ao parlatório, onde Bolsonaro receberá a faixa presidencial e fará um breve pronunciamento. Mais dois figurantes se juntaram a eles, representando o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, e a mulher, Paula Mourão. A secretaria de imprensa do Planalto informou que os figurantes fazem parte do GSI, mas não informou quem eram.

Durante a simulação, um grupo de três ciclistas passou em frente ao Planalto gritando "Lula Livre". A circulação de automóveis pela região foi bloqueada, mas pedestres e ciclistas não eram barrados.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia