Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de dezembro de 2018.
Dia do Atleta. Início do Verão.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Transição no Piratini

Edição impressa de 21/12/2018. Alterada em 21/12 às 01h00min

Vice-governador fica com a Secretaria de Segurança

Tucano também anunciou titulares dos órgãos de policiamento e perícia

Tucano também anunciou titulares dos órgãos de policiamento e perícia


MARCO QUINTANA/JC
Marcus Meneghetti

O governador eleito, Eduardo Leite (PSDB), anunciou, na tarde desta quinta-feira, que o vice-governador, Delegado Ranolfo (PTB), vai ser o secretário de Segurança no primeiro ano da sua gestão. Em uma coletiva de imprensa no Centro de Treinamento da Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Sul, o tucano explicou que a principal missão de Ranolfo vai ser o desmembramento da pasta de segurança em duas. "No primeiro ano do governo, vamos estruturar as nossas políticas para a segurança pública. Pretendemos desmembrar a Secretaria de Segurança em duas: a da Segurança e a da Administração dos Serviços Penitenciários. É importante que tenhamos lá uma extensão do próprio governador, na figura do vice", justificou Leite. 

Ranolfo também pretende coordenar um conjunto de políticas de prevenção à criminalidade. "Além do desmembramento da pasta, temos a missão de implementar políticas de prevenção junto com outras secretarias. Esses projetos devem ficar a cargo do gabinete do vice-governador", projetou.

O governador eleito deu mais detalhes sobre esse conjunto de medidas que chamou de "programa transversal de segurança". "É necessário identificar os locais com situação de vulnerabilidade social, onde os crimes acontecem, e atuar nessas áreas com programas sociais, evitando que crianças e jovens sejam seduzidos pelo crime. Isso envolve educação em tempo integral, assistência às famílias que se desestruturam por problemas de drogadição e desemprego etc. Tudo isso também interfere na segurança", analisou Leite, que concluiu: "Esse programa transversal ajuda a coordenar esforços do governo para que, de certa forma, a Secretaria de Educação também trabalhe com segurança. E a mesma coisa com as pastas da Saúde e da Assistência Social. Queremos aliar as outras pastas para que elas também analisem onde podem colaborar com a segurança pública".

Ainda em 2019, Ranolfo pretende chamar 2 mil novos policiais militares. "Pelo que tenho conhecimento, a partir das informações da transição, 2 mil policiais militares já estão fazendo o curso de formação. Eles estarão aptos a serem chamados em junho ou julho de 2019. A ideia é chamá-los. Também veio a informação de que vai começar um curso de formação de 400 novos policiais civis. No momento da formação, vamos, certamente, chamá-los também", projetou.

Na coletiva, também foram apresentados os titulares dos órgãos de segurança. O Comando-Geral da Brigada Militar vai continuar nas mãos do Coronel Mario Ikeda.  A diretora-geral do Instituto-Geral de Perícias (IGP), Heloísa Helena Kuser, também vai prosseguir no cargo. Da mesma forma, o coronel Julio César Rocha Lopes segue como chefe da Casa Militar. A Polícia Civil vai ser chefiada pela primeira vez por uma mulher: a delegada Nadine Anflor.

O coronel Cesar Eduardo Bonfanti vai ser o comandante do Corpo de Bombeiros Militar. Bonfanti foi o único que não estava na coletiva, pois, como explicou Ranolfo, estava de aniversário e tirou o dia para passar com a família. O vice-governador também explicou que ainda não foi escolhido o titular da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) "justamente por causa da reestruturação. Ainda estamos buscamos um nome". 

Nomes escolhidos para os órgãos de segurança

Comandante-Geral da Brigada Militar Coronel Mario Ikeda
É o comandante da Brigada Militar desde abril de 2018. Com graduação em Políticas e Gestão Pública, foi comandante do 15º BPM, em Canoas, e gerenciou o trabalho de segurança durante a Copa do Mundo de 2014. De 2015 a 2017, comandou o Centro de Policiamento da Capital, e, desde 2017, ocupava o posto de subcomandante-geral da Brigada.
Chefe da Polícia Civil Nadine Anflor
É a primeira mulher a ocupar a chefia de Polícia Civil. Formada em Direito pela Universidade de Passo Fundo e pós-graduada em Direito Público e Direito Sanitário. É delegada de polícia desde 2004. Foi titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Porto Alegre. Presidiu a Associação dos Delegados de Polícia do Rio Grande do Sul.
Comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul Coronel Cesar Eduardo Bonfanti
Especialista em Gestão Pública e Prevenção e Proteção contra sinistros, o coronel Bonfanti está no Corpo de Bombeiros desde 1987. Comandou batalhões da corporação em municípios do Interior e em Porto Alegre. Também foi diretor do Departamento de Segurança e Proteção contra Incêndio dos Bombeiros. É o subcomandante dos bombeiros no Estado.
Diretora-Geral do Instituto-Geral de Perícias (IGP) Heloísa Helena Kuser
Atual diretora-geral do IGP, Heloísa é perita-criminal especializada na área da Biologia. Foi coordenadora-geral de Treinamento e Capacitação da Força Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça. Heloísa também integra o Comitê Gestor da Rede Integrada de Banco de Perfis Genéticos, representando o Ministério da Justiça.
Chefe da Casa Militar Coronel Julio César Rocha Lopes
É o atual chefe do Estado-Maior da Brigada Militar. Bacharel em Direito e especialista em Políticas e Gestão de Segurança Pública, o coronel Rocha também exerceu funções em batalhões de Porto Alegre e na Corregedoria-Geral da BM, além de dirigir o Departamento de Comando e Controle Integrado da Secretaria da Segurança Pública.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia